Author Archive for

28
mar
11

O Amor da Sua Vida

afimVim hoje trazer algumas questões bastante interessantes; espero que vocês (leitores), gostem. Estava assistindo ‘Ele não está tão afim de você’ com minha namorada, e quando estava na metade, eis que surgiu um tópico bastante interessante:

Um dia qualquer, no meio da sua vida ‘feliz’, enquanto você está com uma pessoa que julga amar, e ser amado; num barzinho qualquer, com amigos que você não via há tempos, sem jamais esperar, aparece alguém. Um alguém deveras interessante, que parece ser feito pra você, só que, como o destino vive judiando dos seres humanos, no momento desse tão sonhado encontro, você está no meio daquele relacionamento sério, com uma pessoa que você julga amar. E aí, o que fazer?

Aparentemente, aquele novo alguém, pode ser o amor da sua vida. Se fosse você, leitor(a), deixaria o possível amor da sua vida escapar pelas suas mãos? Trairia seu relacionamento sério? Criaria um novo sentimento chamado amor-amizade, para tentar armenizar esse outro amor? Largaria a pessoa que ama, pelo possível amor da sua vida? Será que vale a pena mudar tudo aquilo que você tem, toda a segurança que você construiu, por um alguém que te fez sorrir no momento em que vocês trocaram as primeiras palavras? Você iria mesmo deixar o amor da sua vida aparecer, e passar?

E, independente da escolha que você tomasse, o que você seria? Covarde? Traidor? Cafajeste (homem ou mulher)?

Por favor, leitor(a), reflita, e responda. (hehe)

16
mar
11

Muito Melhor Que A Tua Ex

menageDepois de passar quase uma hora, para descobrir seu nome, você me vem com um ‘preciso pegar uma bebida’, e me deixa sozinho no meio da boate. Rodo todo o estabelicimento a procura de qualquer vestigio do seu cabelo dourado; nada.

Eu queria desencanar, mas por algum motivo fiquei hipnotizado pela sua presença; já passava das três da manhã quando te encontrei tropeçando para um sofá, meio embriagada. Decidi lhe mostrar para um amigo meu, quem era a tal garota que estava me enlouquecendo; e ele comentou que lhe conhecia. Consequentemente, conhecia seu ex. Seu problemático ex.

Disse-me que ele era ciumento, fazia tempestade em um copo d’água; que mais parecia uma namorada; disse-me ainda que você era uma mulher sensacional, que eu não tinha chance alguma. O que mais eu poderia querer ouvir?

Desafio aceito. E daí que você tinha um eterno ex-namorado? E daí que você terminava e voltava a cada três onzenas? Não me interessava mais, você era meu alvo, e não ia parar por nada.

(…)

Talvez mais por estar bebada, do que por ter percebido meu potencial, você me deixou te roubar dali. Me deixou te roubar pra mim. Não foi nada cofidencial, você continuou me hipnotizando, até eu te deixar em casa e você em vez de dizer um simples ‘tchau’, me veio com um ‘adeus’.

(…)

E agora estamos nesse jogo estranho de reencontro constragedor. Toda vez que estamos juntos e você o vê, rola aquele clima estranho. Isso me irrita muito, vocês estão naquele tipico estado de ‘nem fode, nem saí de cima’; e eu estou preso nessa confusão todinha. Sabe porque eu simplesmente não vou embora? Porque eu sei o que quero tentar, e mais ainda, sou Muito Melhor Que ‘A Tua’ Ex.

17
fev
11

Liberdade de Solteiro e Privilégios de Casado

pencruzDizem muito por aí que essa história de ‘ficar’ deixou tudo mais simples, balela! Tudo ficou foi mais complicado! Hoje você leva vida de namoro, sem nem ter pedido, e diz pra os outros que está ‘ficando’; nos mesmos trilhos, quando chega a um relacionamento de anos, ou de intimidade surreal, está casado, sem ao menos estar noivo em alguns casos… E a escolha de voltar atrás, onde fica?

Tudo começa com as projeções, antigamente você precisava mergulhar no relacionamento, para descobrir se suas projeções estavam certas, ou erradas, hoje não; Vai tudo na liberdade, na confusão, a busca pela simplicidade só deixou tudo misturado demais. Além disso, outrora você sabia exatamente em que relacionamento estava, hoje, dificilmente sabe.

Ai vai ter gente que vai dizer ‘Ficar é muito melhor, você tem a oportunidade de conhecer várias pessoas diferentes e escolher entre elas’, é e ao mesmo tempo tem a chance de magoar tantas, ou de se magoar. Quem nunca ficou com um certo alguém, que foi tão bom que criou uma expectativa, e que no final, não deu em nada?

Outro problema sério dessa história, é em relação ao sexo. Tem mulher que só faz, se namorar, mas tecnicamente, quando eles estão ficando, eles já não estão namorando? Ai lá vai o homem ter que começar a namorar (sem querer, de fato, namorar) pra poder ter o tão sonhado vuco-vuco. É como um amigo meu disse, o homem quer a liberdade do solteiro, e os privilégios do casado ao mesmo tempo. Só que pro homem entrar na vida de casado, ele precisa estar apaixonado… E bem como já sabemos, pra o homem estar apaixonado o bastante, para se monogamizar, tem que ter muito amor aí, né não?

A minha opinião é simples, ficar por ficar, é coisa de menino e menina sabe? Beijo de boca. Simplesmente isso, acredito que quando a menina se torna mulher, ficar se torna tão fútil, que ela começa a ter nojinho dos garotos da sua idade, e consequentemente passa a se interessar por homens mais velhos; o mesmo vale para os garotos, quando eles finalmente enjoam de ficar (se é que enjoam, porque homens são debéis até o fim) querem namorar, pra poder aquietar a vida, ou algo assim sabe? Ou seja, também enjoam de ficar.

Pra mim esse negoço de ficar, só acaba criando uma coisa que toda mulher reclama muito, ‘seu homem’ querendo ter ainda a liberdade de solteiro, ganhando a vida de casado; como isso não pode acontecer, acaba que o homem que obdece a mulher é o dominado, e vive respondendo ‘Vou Não, Quero Não, Posso Não, Minha Mulher Num Deixa Não, Num Vou Não, Quero Não’; ou simplesmente, algo mais simples, que quando descoberto, incomoda bem mais as mulheres, o bom e velho chifre, mas esse é assunto pra outro dia!

Carnaval ta chegando ai gente; pros(as) solteiros(as) cuidado com quem ficam… pros(as) comprometidos(as) cuidado com quem ficam, e onde ficam (se for alguém além do seu compromisso). HSIUHSUUIHSUIHS, no mais aproveitem, bebam com moderação, pra não se arrependerem, e usem camisinha. A festa é da carne, mas a ressaca é da cabeça e do coração!

29
nov
10

todo romantico é cafajeste (e vice-versa)

george-cafajesteSe eu tenho vontade de passar na Subway e pedir um sanduíche de 30 cm, pouco antes de ir na casa da minha namorada, eu faço. Se eu quero escrever um poema, fazer uma caixa artesanal pra ela guardar nossas lembranças, ou comprar uma barra de chocolate quando ela está com cólica, eu simplesmente faço.

Sei lá o que dá em mim, ou porque eu sou assim, é só que gosto sempre de conquistar mais e mais. Talvez por homens assim estarem em extinsão, talvez por eu ter visto ‘O Estranho Mundo de Jack’ tantas vezes quando criança, e de ter me hipnotizado pelas falas da raposa d’O Pequeno Príncipe… Não sei ao certo, só sei que quando me dei conta já era assim, um bobo romântico.

Parando pra pensar, eu acredito que um romântico só pode ser o que é, se ele for um cafajeste. É isso mesmo que você leu, um romântico só pode existir se ele também for um cafajeste, simplesmente porque um romântico está sempre querendo conquistar mais ainda a mulher amada, e para querer isso, só sendo um cafajeste. Então de bom grado eu digo: sou um cafajeste.

Não estou falando de galinhas ou cachorros. Estou falando dos cafajestes clássicos, assim como estou falando dos românticos de verdade, não esses homens piegas-grudentos meia-boca que aparecem por aí. Um cafajeste de verdade é simplesmente romântico por definição, e vice-versa. Um cafajeste pra mim é tipo George Cloney, com aquele sorriso galante, num terno surrado ou não.

Tem que ser do tipo que conquista apenas com um ‘Hi, this is yours’ e mostra um pingente de ouro que nunca foi da mulher em questão, como Leonardo DiCaprio em ‘Prenda-me se for capaz’. Claro que ser bonito ajuda muito, mas os maiores galanteadores da história não eram tão bonitos assim (para saber mais procure no google ‘os maiores playboys da história’).

Acho que cada cafajeste tem seu ponto forte, e pronto. Cada bom romântico é, ou já foi um cafajeste, ou vocês acham que Shakeaspere poderia ter escrito Sonhos de Uma Noite de Verão se fosse apenas um rapaz inocente? A imaginação tem seus limites, infelizmente.

Deve ser por isso que existe aquele ditado ‘mulheres gostam mesmo é de cachorros’, na verdade elas gostam mesmo é dos cafasjeste, que conquistam sem elas quererem e pronto. Esse novo seriado da Globo: ‘afinal, o que as mulheres querem?’ se fosse dirigido por mim, teria essa única resposta ‘um bom cafajeste’, seja este só dela ou não. É isso mesmo, tem mulher que se sujeita a dividir seu cafajeste, simplesmente porque ele a sacia, de alguma forma.

Claro que as coisas não são assim ao pé da letra, e tem mulheres que não se sujeitam ao seu cafajeste, e aí é que, pra mim, entra a grande sacada da questão; o cafajeste se molda para sua mulher, e pronto. Ela conserta umas partes que não aceita, e deixa as outras que não se importa tanto. Por exemplo, as amigas dele, ou as saídas com os amigos pro bar. Claro que ele vai olhar/ conversar (e até cantar, ou sei lá mais o que) alguma mulher por lá; mas isso realmente não importa, pois ele tem dona certo?

Conclusão: você, leitora, precisa urgente achar seu cafajeste! Até mesmo Shakeaspeare, e o príncipe encatado que a Taylor Swift fala em ‘Love Story’ também eram cafajestes. Pelo sim e pelo não, você só precisa conseguir uma coisa: domesticar o dito cujo! Agora como conseguir isso… Ah essa é uma outra longa e boa história!

P.S.: deem uma olhada no post abaixo ‘surpresinha’; é um presnte de nós autores do ‘Muito Melhor Que A Tua Ex’ para vocês, queridos leitores!

09
nov
10

Pra Que Mudar?

dadVocê quer aquele carro apenas por ele ter a melhor propaganda. Você usa esse penteado, e essa cor de cabelo, apenas porque sua amiga disse ‘homens gostam mais de loiras’. Você respira a propaganda, engole o gosto dos seus amigos, rejeita os conselhos dos seus pais e simplesmente vai mudando seu jeito de ser.

Lembra da semana passada quando reecontrou aqueles amigos dos tempos de escola? Tudo tão diferente, mal havia encontrado com eles e já queria se afastar. Porque será que isso aconteceu? Claro que eles também mudaram, mas você foi quem mudou mais.

Você muda por que você quer, ou você muda por que disseram que era melhor mudar? Quem é você? É mais uma maria vai com as outras? Ou aquela do contra? Sabe como saber? Só se olhe no espelho e pergunte se foi por você mesmo que escolheu seu look, ou se foi alguém, ou uma revista da moda?

A mudança é natural, todo ser humano tem que mudar; até porque em cada relacionamento ele absorve e doa algumas caracteristicas para a outra pessoa, porém o principal, a base, o alicerce, nunca deveria mudar; os seus príncipios deveriam ser constantes, a não ser que seu principio seja ‘se adequar ao novo ambiente’.

Você pode escolher sua música, mas acaba aceitando aquela que toca na boate e no rádio o tempo todo. Você pode cozinhar sua comida, mas prefere ir até uma lanchonete cheia de junk food, ou seguir uma dieta milagrosa que não tem efeito nenhum. Você pode parar de falar com aquele namorado da sua amiga que não gosta, mas você simplesmente continua a falar, e aceitá-lo para não dar em confusão.

Você pode beijar o melhor amigo daquele seu ex idiota, ou apenas ficar na paquera de olhares, se frustrando por não poder fazer aquilo que você realmente quer. Você pode não beber cerveja, pois tem um gosto ruim, mas bebe para acompanhar a mesa. Você pode ficar embreagada com uma cachaça barata, mas não o faz por temer o que falaram de você.

Sem perceber, o seu ‘querer’ se tornou o das pessoas que lhe rodeiam, e ai? Você parte de casa para o trabalho, do trabalho para faculdade, da faculdade para casa, sem demonstrar nenhum sorriso verdadeiro. Sem saber como sua vida tomou aquele rumo, faz tudo de uma forma tão mecânica que esqueceu o que lhe fazia sorrir de verdade, no processo dessas mudanças da moda.

Você muda seu beijo; você muda seu endereço; muda seus peitos, seu cabelo; o sorriso e os príncipios; o perfume e a vocação. Muda tudo para poder alcançar uma perfeição, que na verdade, não vai servir pra você nem para ninguém.

Se você quiser mudar, pode mudar, mas não é melhor mudar por que você quer? Mude porque você gosta, ou simplesmente porque sentiu vontade, e não por ter visto isso! Apenas faça o que lhe der na telha, e não o que disseram para você!

A moda é algo bom; ela nos mostra qual o gosto geral de todos, ou de uma liderança; é algo bom para se seguir, mas não totalmente. A moda é boa, ela existe para ser observada e admirada, não seguida ao pé-da-letra. Não queira ser um esteriotipo da moda. Homens, de fato, se importam basicamente com o recipiente, mas lá no fundo, eles são carente por conteúdo.

Se continuar assim, vai acabar mudando sua casa; mudando seu sexo, mudando seu marido e amigos. Você muda você, e quando vê, nem é mais você.

Você muda a cada segundo, e é uma pessoa diferente com cada pessoa que anda, isso é inevitável; pois esse tipo de mudança você não controla, simplesmente acontece. Mas nunca esqueça daquilo, ou daqueles que lhe fazem sorrir, que lhe faz querer levantar da cama pra encarar mais um novo dia numa rotina nem tão animadora assim.

Cuidado para não mudar demais, tente  mudar apenas quando necessitar, se não, nem mesmo você se reconhecerá após algum tempo. Afinal, você é um ser humano e não um camaleão.

Mude. Just do it. Porém não pela propaganda, apenas pela vontade de voltar a dançar ciranda.

 

12
out
10

O que um ‘Eu te Amo’ carrega

Já percebeu como a gente se dá tão bem? Do nada bate uma vontade de estar contigo, te abraçar, dar beijo, como a gente não pode se ver o tempo todo; a solução é te ligar só pra dizer ‘eu te amo’, mandar uma sms cheia de declarações. Pode ser em qualquer dia, ou qualquer hora; na verdade, a grande graça dessas atitudes é não ter hora marcada não é mesmo? E o mais engraçado é que nós dois fazemos isso, sempre que sentimos vontade.

Às vezes eu tenho medo que seja muito piegas de minha parte, ficar dizendo ‘eu te amo’, tantas vezes, mas é que essa frase carrega tantas coisas que eu quero falar, mas que não consigo expressar. É complicado demais, por isso repito-a tanto, para que você nunca duvide disso. Deixa eu tentar explicar, uma pequena parte do que meus inúmeros ‘eu te amo’ significam:

Você me é assim um tanto especial; digna de receber tantos apelidos carinhosos quanto minha imaginação de poeta pode concretiza, por mais abstrato que amor seja, para mim ele é completamente concreto nos laços que atamos juntos.

Mesmo sendo tão diferente, é como se simplesmente fossemos feito um para o outro. A nossa vontade de ficar juntos foi tão grande, apesar de tantas adversidades (impostas por nós ou não) que se tornou Amor; um daqueles que até O Tempo sentiu inveja. Eu não o culpo; de todas as pessoas, divindades e tudo o mais que observam nossa sincronia, quem não sente inveja da gente? O nosso amor é assim tão puro e belo, perfeito até nos defeitos e desentendimentos. Você me faz um bem enorme, que o tempo que passamos juntos, é ínfimo, tão pouco, quase nada comparado a minha vontade de você. Agora parando pra pensar, acho O Tempo percebeu isso, e como não podia roubar de nós a intensidade de nosso amor, decidiu tomar de nós o tempo que tínhamos para ficar juntos, a sós, aproveitando a companhia um do outro; só que ele falhou em ir veloz, pois a saudade só fez aumentar a necessidade que eu tenho por você, a dependência que meu corpo sente pelo teu abraço.

Desde que me levanto pela manhã, sinto um comichão gostoso surgir pela minha face, eu dou um sorriso e lembro do sonho bom que tive com você; daí em diante já fico aguardando o dia que vem, pra poder te ver, e tentar fazer o tempo esperar, como esperei, numa eternidade (mesmo que sejam os dois segundos que fiquei esperando você voltar do toalete). Quanto mais eu paro pra pensar, mais penso em você; e quanto mais lembro; mais lento o tempo decide passar para mim, tanto que ele parece estagnar, de uma forma que só um Tempo invejoso sabe fazer! E quando finalmente tenho você, já nem sei que dia é hoje, nem sei se passaram semanas, anos, minutos ou meses desde que comecei a encarar o seu olhar; é como se esse olhar me levasse até uma dimensão a parte, onde o tempo não tem vez, e que cada vez mais, brilha intensamente, toda vez que ficamos a nos encarar.

Se eu olho para trás (para o tempo em que estamos juntos) fico muito confuso; às vezes acho que já passou tanto tempo, pela intimidade e intensidade que a gente construiu, e ao mesmo tempo, acho que não passou quase nada, que nosso futuro precisará de muito mais que milênios para se concretizar. E o tempo vai passando assim devagar, do jeito que eu sempre quis; nosso amor é daqueles tão raros e místicos, capaz de alterar o espaço-e-tempo contínuo; não só para mim, para nós dois.

Eu sempre desejei poder domar O Tempo, e agora percebi que nunca pude fazê-lo; só quem tem essa habilidade é o Amor, e ele o faz, forçando o tempo a passar devagar quando estou contigo, e ao mesmo tempo tão rápido! Na verdade, os parâmetros que conhecemos para o tempo, simplesmente não funcionam. Você entende o que quero dizer? (na verdade nem eu entendo muito, só sei que faz muito mais sentido quando paro de pensar com a cabeça e passo a pensar com o coração).

Se um dia eu conseguir lhe mostrar o tempo que vivenciei antes de ti, talvez você entenda o porquê de eu não querer sentar para discutir, de eu ser assim meio retraído, simplesmente por saber que o tempo vai passar rápido para mim! Nem adianta fazer birra, embora aquele biquinho seja extremamente lindo, você tem que me entender quando peço um tempo para você me ouvir (ou apenas para eu me ouvir).

É meio difícil de aceitar eu sei, mas é a única solução para mim; que congelei, fugindo do amor; até lhe conhecer estava tendo êxito, mas por me auto congratular, acabei caindo nessa armadilha, e não sabia como me portar, quando o amor veio me chamar (acho que esse foi o grande x do problema de termos demorado tanto a dar certo); quando você me descongelou, roubando da raposa a escolha de amar, acabou por me deixar nessa dúvida tremenda: será que o tempo vai ter tempo para amar? Ou será que no fim, eu terei que ficar só, como fiquei tão bem quando me congelei? E então, se todas as cicatrizes voltarem a latejar, para onde vou poder fugir? Bem você, sem perceber me deu essa resposta! Se tudo o mais falhar, poderei me esconder no único abrigo que confiaram a mim; o seu coração, único ponto onde me sinto confortável o suficiente para não temer o futuro; pois quando meus olhos estão refletidos nos teus, sei que o tempo vai esperar, até a eternidade do nosso amor se perpetuar.

Agora você consegue entender quanta coisa o meu ‘eu te amo’ carrega? Eu te amo.

P.S.: escutem a música, é linda. :B

01
out
10

se VERDE é assim, imagina MADURO.

adh

Essa é dos tempos que eu era solteiro. Lá fui eu comemorar o aniversário de Lipe na boate, todo mundo da faculdade me pentelhando porque eu não tinha ido, pra nenhuma ‘saída’ com a turma. Ok, eu cedi, era bem verdade que eu tinha a boa e velha pelada semanal no sábado às 8h30, mas eu sabia que se não fosse, iriam passar um mês me pentelhando.

Eu ainda não tinha 18, logo, minha entrada na boate seria vetada caso o segurança me barrasse; como eu sempre fui cara de pau, fui com minha ID normal, sem nada falsificado, ‘na cara e na coragem’, eu fui tentar entrar; na verdade eu não me importava de ser barrado e ter que voltar para casa, estava liso… A conta do cartão ia vir muito alta se eu entrasse naquela boate. Mas por proteção de algum Deus que gosta de acabar com minhas finanças, eu entrei, o segurança, tecnicamente nem pediu minha ID.

Boate é assim mesmo, monte de gente bonita, homens andando com o peito pra fora (parecendo um pavão mostrando suas plumas, só que nesse caso, mostrando seus musculos superiores) e as mulheres com essas saias altas, e vestidos curtíssimos (ahh como pernas femininas são lindas). E agora o que fazer? Beber.

Antes tenho que explicar, que de fato eu não preciso do efeito bebida para agir, eu até fico mais envergonhado quando estou bêbado (é sério!); só bebi, porque bem, clone de heineken não se desperdiça! Lá estava eu esperando a minha verdinha linda, quando alguém me cutuca, quando viro me deparo com uma grata surpresa.

-Tôp, tu pede uma caipirosca para mim? – era Renata, uma colega-ex-colega minha de Economia (ela entrou no curso e desistiu um mês e meio depois).

-Nata! Pego sim – eu a cumprimentei dois beijinhos rápidos nas bochechas – eu não sabia que tu ia vir!

-As meninas me arrastaram – e ela deu aquele sorrisinho lindo dela – eu tou mais surpresa é com você ter vindo…

-Por que?

-Nunca imaginei você numa boate, principalmente no dia do cover de Los Hermanos, cantarolando ‘Retrato para Iaiá’.

-Não é minha culpa é o único CD que toca no carro do meu irmão. E não é tão estranho assim eu estar numa boate.

-Bem… Você sabe como o pessoal diz: Tôp é uma lenda pra sair socialmente… – e nós dois sorrimos enquanto eu explicava que não era bem assim.

Após pegar nossas respectivas bebidas, acabei conversando com ela, sobre o que andava fazendo, chamando-a para voltar pra faculdade, etc e tals. Acontece que uma semana antes de sair do curso, o nosso grupo empurrara Nata para mim, e bem, ela fazia bem o meu tipo. Branquinha, cabelos num castanho negro, olhos de jabuticaba e um sorriso pequeno, tão lindo. Uma parte estranha dela, é que era magrinha, só que isso não a tornava feia, aos meus olhos combinava com seu jeito de ser, e ela não era aquela magra esquelética, era mais para a magra modelo, sabem comé? Bem, essa noite ela estava com um vestidinho tomara que caia verde-lodo, não lembro bem o resto, só decorei a cor do vestido pelo que viria a acontecer mais tarde naquela noite.

Apesar do clima de flerte, e de duas investidas minhas, ela conseguiu se sair majestosamente, e quando eu indaguei qual o motivo de estar evitando meus lábios ela respondeu com um sorriso provocador. Sem perceber eu me deixei levar pelo nosso aniversariante embriagado que já havia ficado com duas, e agora queria se divertir com as feinhas.

Homem é assim mesmo, quanto mais bebo fica, mais apaixonado por feias fica. Não é como se seu filtro de qualidade desligasse, é como se um repentino sentimento de caridade brotasse em seu peito e ele pensasse ‘preciso fazer uma feia feliz’! Pois bem, era o que Lipe queria fazer; eu não.

É por isso que nessas horas eu tenho as melhores cantadas do mundo! Lipe ficou me perguntando sobre o que falar moreninha feinha que doía!

-Chega pra ela e faz: ‘morena!’ e dá uma pausa dramática, depois: ‘seus olhos brilham mais que charque no óleo tssssssi’ – não sei por que diabos, ele realmente acreditou que aquilo era uma boa cantada e foi até lá. O que não me surpreende foi ela aceitar a cantada após todas as amigas olharem para ele com cara de ‘que idiota’. Lipe fez sua feinha feliz.

Depois disso eu ajudei ele a ficar com mais três, e sem perceber já estava embriagado também. As próximas cantadas usadas foram: ‘você acredita em amor à primeira vista?’; depois ele dava uma voltinha e dizia ‘e à segunda?’; falando bem rápido e sorrindo ‘pena de urubu, pena de galinha, pra ficar comigo é só da uma risadinha!’ e ‘meu nome é Itaú, feito pra você’.

Após muita risada, ele viu que eu não tirava os olhos de Nata e disse ‘é a sua vez de soltar uma dessa’. E não é que eu soltei? Até hoje não sei porque fiz isso, acho que a cara de pau de sempre ajudou…

-Se VERDE é assim imagina MADURO – foi o que saiu da minha boca no ouvido dela, e que por algum motivo muito divino, a fez cair na gargalhada, pois bem, eu não pensei duas vezes e lhe tasquei um bom e velho beijo.

Por acaso, além de mim, moravam mais cinco pessoas na Zona Norte do Recife, e ninguem estava de carro, logo iriamos pegar dois táxis. Claro que eu e Nata fomos em um a sós. Não sei também o que houve, mas de repente, passamos a ignorar que havia um taxista (até acho que o pobre coitado já estava acostumado com isso), eu paguei 10 reais a mais pra ele pegar o caminho mais longo (e como ele pegou) até a casa dela, e só sai de lá às sete horas da manhã. Logo que chegamos a casa dela, pegamos o carro e fomos até o Drive-thru da McDonalds (por algum motivo idiota eles só vendem para quem está de carro a partir das 1h da manhã, e já passava das 4h), e voltamos, a Mc ficava duas quadras da casa delas. Aqueles eram meus últimos dez reais, então eu andei cerca de uns 2 km todo arrumado (se bem que as 7 da matina e depois de aproveitar bastante meu tempo com Nata, eu estava BEM dessarrumado) até chagar em casa. Pouco antes de cair na cama recebi uma sms ‘você podia ter ficado mais’, e eu respondi ‘foi você que me botou pra fora antes que seu pai acordasse…’. Mais tarde, quando acordei vi uma sms ‘nem sempre se deve obdecer o que uma mulher diz, principalmente uma bêbada’. Eu até respondi algo, mas ela não respondeu mais; acho eu que as sms mandadas por ela foram por causa da falta de sono e álcool no sangue.

Bem eu não joguei minha pelada semanal naquele sábado, e na outra semana eu, de fato, fiquei com o saldo negativo na conta. (o que paguei na boate foi bem salgado!)

Não falei mais com ela por um bom tempo, até mandei outra sms uma semana depois, ela não respondeu. Um mês e meio após a festa de Lipe, comecei a namorar, e advinhem quem mandou o primeiro recado quando alterei meu status de relacionamento no orkut? Nata, dizendo: ‘namoraaaaaaaaaaaando é? kkkkkkkkkkk…’, não pude fazer nada, a fila andou, ou melhor regrediu, e hoje só tenho uma certeza, as melhores cantadas são as mais ridículas!