Arquivo para setembro \29\UTC 2010

29
set
10

A Fabulosa Teoria da Superioridade Amorosa Feminina.

O texto de hoje é uma contribuição da nossa leitora, Sabrina Coutinho. Espero que gostem!

A grande dúvida: Por que nós, magníficas mulheres, somos muito menos idiotas que os homens quando se trata de se apaixonar?

(Choradeira e ciúmes não entram no quesito ‘idiotice’, essas são apenas reações normais de nossa natureza).

Enfim. Todos já convivemos com mulheres e homens apaixonados, e a diferença é da água para o vinho. Os homens têm a tendência de ficar extremamente bobos, idolatrando a mulher por quem estão apaixonados (estamos falando de um começo de relação, da fase gostosa, não do final quando o escr… vou manter o foco…). Fala sério, quantas vezes você já não viu um casal apaixonado que não se desgruda, lembre da ultima vez que você viu um…Agora observe: de quem é a cara mais retardada de paixão? É, isso mesmo, do cara.

Bom, e a explicação pra isso? Deus quis assim? As mulheres nascem com o poder sereia de deixar todo mundo babando? Não! Não! Não! A vida da mulher se divide em 3 importantes partes: nascimento, adolescência e fase adulta. O grande acontecimento acontece entre a adolescência e a fase adulta. Qual é esse acontecimento? Um tapa na cara!!!

Explicando melhor, o tapa na cara acontece justamente na época de seu primeiro amor (aquele em que tudo é colorido, a vida é linda, vocês sonham em se casar e ter uma filha chamada Betty…lalala…). Então tudo se desenrola em passos:

1- Namoro lindo e bem sucedido (com sabor de fruta mordida)

2 – Escrotisse praticada pelo companheiro (se for citar exemplo eu fico aqui o dia inteiro).

3 – Total desilusão com todos os homens do mundo (entrada no clube das mulheres que descobriram que os homens podem ser E SÃO, uns canalhas quando querem).

É a partir deste fatídico dia que o Tapa na cara acontece, dando-nos a base que nos impede de acreditar muito facilmente no que um homem diz, que faz a gente fuçar o celular, e-mail, facebook…do namorado e que, por ultimo, e mais importante, faz a gente não parecer idiotamente apaixonadas porque no fundo no fundo estamos com aquela linda frase martelando na cabeça:

Homens são TODOS iguais.

27
set
10

Mulher gosta de quê mesmo?

Fui cutucada hoje por essa pergunta por conta de uma sucessão de acontecimentos. A minha irmã me chamou de interesseira porque eu dei um abraço nela pra depois pedir pra ela pegar o meu notebook na cama. E o que se seguiu foi que no hall do hotel tinha um casal, sendo a mulher bem mais nova que o homem. Já conversei muito sobre interesse, com muitas pessoas. Eu não pude deixar de defender as mulheres na minha discussão mental.

Conhece aquela história que viado é quem gosta de pinto, mulher gosta mesmo é de dinheiro? Será verdade? E se for, deixa de ser interesse algum dos dois? E aí lindinho, qual vai ser a pedida de hoje: interesse no seu pinto, ou no seu dinheiro? Existe alguém que quer um pinto ambulante? A verdade é que: nem o seu dinheiro, nem o seu pinto sozinhos, fazem a felicidade de alguém. E não me venha com “tem quem diga o contrário…”! Quem quer só um pinto arruma um “acompanhante” ou um vibrador. Quem quer só dinheiro, pode conseguir de inúmeras maneiras. Mas se ainda assim, ficar com alguém só por dinheiro, vai ter sempre aquele vazio lá dentro do peito. Ou seja, não vai ser plena.

Não adianta ter carrão se não consegue ter a sacada de alguma vez abrir a porta do carro pra você, celular high-tech se não sabe pegar o celular e te mandar uma mensagem de bom dia ou dar uma ligação quando ta de bobeira só pra dizer que lembrou de você, apartamento chiquérrimo se lá dentro você precisa estar sempre cheia de regras de etiqueta, ter um pinto de ouro se não te dá carinho e atenção, dar presentinhos que custam uma pequena fortuna se não sabe dar amor de verdade… enfim, o que importa se você tem, é saber usar! Ter um carro é legal, vai facilitar a locomoção, mas não precisa ser uma BMW! Dar presentinhos é fofo, mas não precisa ser necessariamente algo que tenha um valor monetário agregado. Ser criativo é mais importante que o preço do presente. Eu já me contentei demais com um guardanapo desenhado.

Mulher busca basicamente por segurança (aqui vou eu generalizar), agora, de onde essa segurança vem? Varia muito. Pode vir do seu bolso, do seu cérebro, do seu status, do seu coração, das suas calças, ou da sua essência. E de qualquer forma, vai ser interesse! Interesse no seu dinheiro, em estar com alguém que seja inteligente, em ser bem vista pela sociedade, no seu amor, no prazer que você pode proporcionar, ou pela sua agradabilíssima companhia. Então, tire da cabeça essa história de que ser interesseira é de todo ruim. Todo mundo é interesseiro, nossas relações tem o interesse como alimento.

E se você parar pra pensar, nada mais é que uma troca. Beleza que ela quer o seu dinheiro, mas você também quer certas coisas que ela pode te proporcionar. EPA! Mas isso também te torna interesseiro! Interesseeeeiroooo! Você acha mesmo que conseguiria dormir com aquela mulher maravilhosa (vulgo loira-um metro e setenta de altura-bunda arrebitada-peitos fartos-cintura fina-cara de danada-quero seu dinheiro) só com essa sua cara de Joselito e com essa conversa fiada e mal contada? Não que eu ache certo ela se interessar pelo que você tem e não pelo que você é… mas também não acho certo você se interessar só pelo que “ela é”, nesse caso, gostosa!

E a troca é completamente justa, o jogo é bem aberto. Ou você acha mesmo que a coelhinha da playboy fulana de tal se apaixonou pelo vovô mega empresário apenas pelo belo sorriso dele e pelas antigas histórias e casos que conta? Você acha que eles não sabem muito bem porque estão juntos? Ele usufrui de toda a juventude e beleza dela, e ela de tudo que o dinheiro e/ou fama dele puder proporcionar. Ou você acha que o senhor viúvo, que mora sozinho num apartamento de zilhões de dólares, ta atrás do cérebro (do tamanho de uma uva-passa) dela? Ninguém pode culpar essas moças porque toda criatura que tenha o cérebro um pouco maior que o tamanho de uma uva-passa, sabe muito bem qual o objetivo desse tipo de moça (como sou fina e delicada!), você se envolve se quiser (e se for imbecil, ou cego, surdo e mudo… ta bom, ou se por algum acaso do além, for amor à primeira vista).

Como é que jogador de futebol desencalha? Boca fechada e carteira aberta. Não vou ser hipócrita aqui também e dizer que dinheiro não é nada. Se você tem dinheiro pode conseguir muitas coisas legais e blá blá blá, mas dinheiro não compra amor, nem personalidade, muito menos caráter, bom gosto, boa educação, criatividade,  cavalheirismo, afeto…

Mulheres fáceis e gananciosas existem aos montes! Mas ninguém pode negar também que existem homens gananciosos, e nesse caso, perdendo a cabeça com mais freqüência e facilidade. Mas, por que será que geralmente nós, mulheres, ganhamos a fama?  Bom, essa fica pra vocês pensarem, pense o que pensar, lembre-se que interesseiros todos nós somos, mas saiba diferenciar interesse de ganância. Encerro esse post com uma frase à altura: “quem gosta de sexo é mulher, homem gosta é de contar vantagem depois”.

24
set
10

Desmistificando a Primeira Vez da Mulher

snTava voltando de ônibus da faculdade quando ouvi uma discussão de um casal a frente que me chamou a atenção. Na verdade o que me fez me focar neles foram as palavras “você está me pressionando demais” e em resposta “mais estamos juntos há mais de seis meses”; por acaso a música que tava tocando no meu celular (eu estava só com um fone no ouvido) era “Você Não Soube Me Amar” e aí eu fiquei imaginando a situação: ela era virgem e ele mal esperava a hora dela não ser mais.

Sabe quando você fica formulando um monte de teorias na cabeça, e nunca chega a uma solução ótima? Bem, acho que todo mundo já passou por isso! As mulheres sempre passam por isso quando tentam entender o que os homens querem dizer com “eu te amo” e olham pra uma bunda aprumada numa calça jeans logo depois; e os homens sempre querem entender várias questões das mulheres; principalmente essa sobre sexo e a primeira vez feminina. Sei bem que hoje em dia, nem 20% das mulheres se guarda para aquele cara que ela confia totalmente; elas simplesmente deixam o bonitão com pegada levar isso delas (e com isso, ela também acaba por impedir que algum dia ele possa respeitá-la); mas enfim, focando-se nesses 20% (e a pobre namorada aperriada do ônibus), que para mim são as mulheres que realmente interessam: porque diabos essa complicação toda?

Alice pode (e muito provavelmente deve) explicar melhor essa situação, ou até mesmo, vocês leitoras daqui do “Muito Melhor Que a Tua Ex”, porém eu vou me arriscar nesse assunto! Ah, eu já conversei com tantas amigas, tantas mulheres; várias expicações diferentes, porém todas chegavam parecidas: medo e vergonha. Ora bolas, eu não sei o porque, mas os homens começam a se sastifazer sexualmente aos 10 ou 11 (o bom e velho 5 contra 1), enquanto as mulheres só começam (se começam) lá pros 16… E ainda tem gente que diz que as meninas amadurecem mais cedo que os meninos… Bem sexualmente, isso é mentira deslavada. Acho que por isso que as mulheres tem tanta vergonha de fazer as preliminares e os pontos finais… Só que esse ainda não é o foco que quero chegar, o prato principal é o Medo. Veja bem, MEDO: 1. Falta de coragem; 2. pusilanimidade; 3. Ato ou efeito de temer; 4. receio. – Enquanto os garotos não veem a hora de conseguir fazer qualquer coisa, as garotas se inibem ao máximo nesse assunto, e até para conversar sobre assunto com as pessoas que mais confiam, são altamente receosas. Não estou afirmando que converso sobre minha vida sexual com todos, nem estou dizendo para alguém fazê-lo, até porque uma vida sexual remete a casais (ou não) e a intimidade destes, deve ser só deles; mas enfim, voltando ao assunto: por que tanto medo? Algumas respostas recorrentes são: 1. Medo de Engravidar. 2. Medo de Doer. 3. Medo de Não Estar Pronta. 4. Medo dele Não ser o Cara Certo. 5. Medo de Não Gostar.

Já perceberam a complicação? Engravidar hoje em dia só se o casal for muito irresponsável e mal-informado (e como estamos falando dos 20% que se importam de guardar a virgindade, elas são bem cabreiras). Doer é relativo, depende de cada uma a intensidade. Tecnicamente, as mulheres estão prontas após mais ou menos um ano que começaram a menstruar. O cara certo não existe, botem isso na cabeça; não existe príncipe encatado, ele só será o cara certo se o relacionamento der certo, ou seja, a pergunta está errada. E mesmo sabendo de tudo isso (acreditem a maioria sabe) elas ainda assim se impedem de chegar no rala-e-rola.

Assim, se você, leitora daqui do blog é uma desses 20%, posso oferecer um conselho. O Homem em questão só vai querer aquilo, mas isso não significa que ele não vai se apaixonar no caminho disso; então o ideal é que você conquiste-o durante o tempo. Sexo não é o relacionamento, é só uma parte prazerosa dele. E fica a dica para quem tem um relacionamento conturbado por causa da falta de sexo, bem, a solução não necessariamente vai ser o rala-e-rola. O Sexo não serve pra encobrir os problemas reais do relacionamento. De tanto conversar com meus amigos sobre esse assunto, chegamos ao consenso que o mínimo que uma mulher deve se preservar, são 3 meses de namoro. Mesmo que ela morra de vontade, é o ideal para o homem se acostumar a ter só ela, e ai sim se contentar só com ela!

O grande problema quando não acontece o sexo, é depois de muito tempo (para ele) de namoro (caso do casal que me fez vir no ônibus pensando nessas besteiras) o homem acha que não fizeram por ela não saber amá-lo de verdade; a insistencia dele é tão grande que a Mulher acha que ele só estar com ela por causa disso e acha que ele não sabe amá-la. Mesmo se parecendo muito, mesmo sendo um casal sensacional. Os dois vão afirmar que um não sabe amar o outro. O começo do namoro foi lindo, só que de tanto bater nessa tecla, os dois se desgastam. De repente, ele não quer mais conversar, e acaba sendo grosso. Ela enjoa dos dramas, e a sincronia de ambos, que daria tão certo, acaba por ser destruída.

Então: não tenham medo do sexo, ele é uma parte boa do amor, a parte prazerosa e engraçada (é tem a parte engraçada!), porém não o trate como uma coisa qualquer, assim como não trate o amor como uma coisa qualquer, é muito mais valioso do que parece. Não sei se o namorado lá já conseguiu o que queria (eu como homem, torço que sim), porém conseguindo ou não, eu espero que o namoro deles ganhe intimidade o suficiente para isso. Pois de nada adianta um namoro onde já aconteceu sexo, e os dois não se conhecem de verdade. Acho que mais importante que fazer o sexo, é ter intimidade para fazer (ou não) e conhecer cada parte um do outro (fisica e da personalidade).

P.S.: Ah e usem camisinha! HSUIHSUIHSUIHUISH, tinha que falar isso!

20
set
10

Do jogo da conquista.

Taí, já ouviu falar em “Id”, “Ego” e “Superego”? O “Id” costuma ser o capetinha que te faz achar que pode tudo. Sabe aquela vontade de correr pelado no meio da rua num dia de chuva? Pronto, ele diz que você pode e deve fazer. Ele não tem medo, nem regras… ele te traz todos as suas necessidades (ou até desejos) mais primitivos. Daí aparece o “Superego” e te mostra o que os outros vão pensar disso, te lembra que existe uma sociedade e que você não pode destoar tanto dela fazendo o que te dá na telha, enfim… o “Superego” tenta te fazer politicamente correto.

Aí você me pergunta: E o “Ego”? Bom, você pode pensar como sendo você, no meio da briga eterna e interna entre “Id” e “Superego”. Pois é, meu caro, você nada mais é do que um mediador dessa briga, o que resulta dela… Pode acreditar em mim, a briga é feia. Nunca vi coisas tão opostas e que se odeiam tanto! E você, querido “Ego” pode discordar de mim, mas querendo ou não, o “Id” geralmente é o campeão, já que contorna o “Superego”de diversas maneiras, e no fim ele dá o jeito dele de fazer sua vontade se realizar.

O diabinho, ou seja, o “Id” tem umas armas muito baixas pra fazer da sua vontade realidade. Posso enumerar as principais: 1) Bebida: Já percebeu que quando você bebe você ama todo mundo, liga pra aquele cara, perde a razão, chora, ri, dança, canta, faz piadinha, seduz, mostra carência, fala demais… enfim, você perde a censura(vulgo “Superego”). Mas, é óbvio que o “Superego” vai se vingar, e pra isso existe o dia seguinte, e a ressaca MORAL: você jura nunca mais beber e fica lembrando e relembrando(do que consegue lembrar) a noite anterior.

2) Carnaval: Tudo bem, ele normalmente já vem associado a bebida, mas convenhamos, não é necessário ficar bêbado pra fazer loucuras no carnaval, o próprio clima e momento te empurram a surtar! Vai dizer que você não sai de casa carregando de tudo, menos o seu “Superego”? Pois é! No carnaval tudo pode, não tem ninguém pra te podar e dizer que você não pode beijar 15 em filinha! Ou que você não deve usar aquelas cantadas baratas. Ou que homem não pode se vestir de mulher, nem mulher de homem. Ou até que não pode dançar frevo com uma tiazinha estranha que tá vendendo cerveja!

E agora você está se perguntando qual o sentido dessa psicologia toda aqui. É simples. Tá, não é tão simples! Eu falei tudo isso pra chegar num ponto: até onde a gente se permite ser “Id” ou “Superego” na arte da conquista?

Não pode ligar, mesmo morrendo de vontade de ligar. Não pode dar na cara que tá a fim, não pode dar na primeira noite, não pode procurar, não pode demonstrar interesse… “não, não e não”, seria esse o “superego” te podando? Regras e mais regras. Se você demonstra demais, ele vai te usar, pisar em você e te largar. Se você não demonstra, ele vai achar que você não quer nada e isso vai desencorajá-lo a te procurar. Qual é o meio-termo?

Aí entro eu como exemplo: durante muito tempo não me preocupei em como agir com alguém, porque geralmente eu não me interessava. E de alguma maneira muito estranha isso fazia com que o fulano de tal corresse loucamente atrás de mim. O que não me importava lhufas, porque, na verdade, eu não tava nem aí pra ele. Mas, chega um momento em que você se interessa, e aí? Tava desacostumada com isso! Como dizer que foi legal ver a pessoa sem parecer piegas ou perseguidora? Como dizer que gosta de estar com a pessoa, mas hoje não tá a fim de sair de casa? Todas as suas ações tem que ser muito cautelosas pra não descumprir essas regras desse manual tão variante e confuso, que é o da conquista.

E é um tal de “faz isso, faz aquilo”, como se você tivesse um ritual de conduta a seguir. Como se pra alguém se interessar e/ou se apaixonar por você fosse necessário você ser outra pessoa, uma pessoa que é feita praticamente toda de “superego”(o que pra mim significa dizer que você é um completo chato de galochas). Você conhece a pessoa “certa” e passa a ser um personagem criado por matérias de “conquiste fulano(a)”, e mesmo assim a pessoa vai embora e você não entende, seguiu tudo direitinho…

A verdade é que não tem regra! Para cada pessoa que você encontrar na vida, vai ter uma maneira de conquistar. Porque não existe um só tipo de pessoa, existem pessoas carentes, bem resolvidas, divertidas, preguiçosas, antipáticas, porra-loucas, recatadas… E talvez não faça sentido pra uma pessoa porra-louca que você ligue a toda hora, mas pra uma pessoa carente, faz total sentido(só exemplificando).

Te dizem pra não ligar porque se ele realmente quiser algo com você, vai ligar. Aí você espera ele fazer contato, mas ele não faz. Aí você depois de muita peleja resolve ligar, e aí você descobre que ele tá chateado porque você não ligou e ele diz que chegou a conclusão que você não gosta dele, porque se você gostasse já teria aparecido. QUÊ??? Aí você puta da vida, chuta o balde, a parede, e o pneu do carro, dá um grito abafado no travesseiro, e de tanto checar o celular descarrega ele.

Essa é a primeira regra que você deve aprender: esqueça o que te disseram sobre conquistar alguém. Esqueça também o que dizem sobre a pessoa que você tá a fim, só você sabe como ela realmente age com você. E como ela agiu com os outros casos dela, até importa, mas não é o principal. Dizem que as mulheres gostam de romancinho, mas tem tantas aí pra mostrar que elas gostam mesmo é dos cachorros. Dizem que eles não gostam das que ficam atrás, que grudam, mas se você não tá nem aí, eles ficam inseguros pensando o que fizeram que não te fez ficar atrás. E cada um tem seu palpite sobre a melhor maneira de conquistar alguém.

Eu, sinceramente falando acho que quanto menos você pensa, melhor. Eu sei que é difícil não pensar, mas eu digo, quanto menos você tenta racionalizar as emoções e sentimentos mais fácil fica de lidar. É só sentir. Mande o “Superego” tirar um cochilinho às vezes. Seja você, aponte pra fé e reme! Se vai dar certo? Ninguém sabe, as chances são divididas em 50% para dar certo e 50% para não dar, em tudo que você faz.

É muito mais fácil você apresentar de cara os seus gostos, suas manias, dizer sim pra o que quiser que seja, e não para o que quiser que não seja. Não adianta fazer de conta que você não chora assistindo Breakfeast at Tiffany’s, porque um dia ele vai saber. Não adianta fingir que você não precisa de atenção, porque em algum momento você vai cobrar. Não adianta inventar que é uma cozinheira de mão cheia quando você nem sabe fritar um ovo. Não adianta mentir pra si mesmo dizendo que não tá esperando a resposta pra aquela mensagem, porque você tá. Uma hora essa pessoa criada por você desaparece e entra em cena quem você realmente é. Então, poupe tempo e se mostre! Se o outro não gostar, sempre tem alguém que gosta.

É simples assim, mostre a que veio! E daí que você é paranoica, gosta de mandar mensagem a cada 5 minutos, e precisa ouvir a voz do outro a cada hora? Essa é você, aceite. Se o cara se afastar, é porque você não faz o tipo dele e pense bem, ele fazia mesmo o seu tipo? O que adianta estar com alguém que não se interessa por você por inteira? Eu repito sempre: a gente ama o outro pelos defeitos. Se você pode suportar os defeitos do outro, acha eles até bonitinhos, você realmente ama.

Adianta estar com alguém que te acha linda, charmosa, inteligente, fofa, mas que no fundo detesta seu jeito de falar, e quando você faz piadinhas infames? E sempre que pode solta uma de que você devia mudar tal coisa(não no sentido de crítica construtiva, mas sim porque é algo que não o agrada). Queira estar com alguém que se orgulha das suas piadinhas infames, do seu jeito de falar, do seu péssimo gosto musical, enfim… de alguém que olhe pra você com olhos de encanto e diga pra todo mundo o quanto você é especial.

Ligue, corra atrás, mande mensagem, procure, adicione, marque encontro, suma, reapareça, suma de novo. Sem exagerar, sem se omitir, sem se precipitar, nem perder a hora. Tudo ao seu tempo e a sua medida! A medida de cada um só se conquista colocando na balança “Id” e “Superego” ou até sobrevivendo a essa guerra entre os dois. A disputa é inevitável, então, a faça ser proveitosa para o seu “Ego”. Se tiver que ser, vai ser. E acredite em mim, geralmente vem de onde você menos espera.

17
set
10

as (des)vantagens de ter uma torneirinha.

meninoHaha, é nós sabemos, ser homem é o máximo. Desculpem, mulheres, mas é a pura verdade! Ainda vivemos numa sociedade machista, e a vantagem (infelizmente para vocês) é nossa.

Lógico que há milhões de vantages de ser mulher, e mais vários milhões de ser homem; mas como Alice falou em seu último texto, as desvantagens também existem, e olhando pelo lado delas, ser homem não é tão legal assim!

Vejam bem, caras leitoras, algumas dessas (des)vantagens masculinas. Primeiramente, esse é pra você, que não gosta de futebol: bicha. Qualquer homem que, aqui no Brasil, não goste de futebol, não tenha um time definido é chamado de ‘menininha’ quando criança. É rapaz, esse país é deveras preconceituoso! (ainda bem que não sofri desse problema).

Segundo, para aqueles que são tímidos: é, você é um tremendo encalhado (exceto se você nasceu muito garboso, ou vive num ambiente deveras libidinoso onde o agarram, literalmente). Isso é muito frustrante “O Homem que tem que tomar a iniciativa!” por que? Não dizem que as garotas tem dois anos a mais de idade intelectual, então por que os débeis garotos é que tem que tomar a iniciativa? Maior covardia isso! (ainda bem que sou e sempre fui cara de pau).

Se é homem e não gosta de ficar pegando várias mulheres e só teve dois namoros sérios até os dezesseis anos, o que é que ele é? Bicha. Na verdade, se o homem não gosta dos três juramentos sagrados masculinos, ele com toda a certeza é chamado de homossexual. Não é preconceito excessivo, são as leis masculinas!

Aliás, já que estou falando tanto nesse assunto, tenho que deixar claro que não tenho nada contra os homens que decidiram gostar de outros homens, desde que ele continue a ser homem (ser uma pessoa íntegra!). E como meu porteiro evangélico, João, disse “Rapaz, deve ser muito bom dar o fiófó; não me entenda errado rapaz! É só que, veja bem: você já viu ex-pastor, ex-miss, ex-presidente, ex-mulher, ex-jogador de futebol, …, mas eu nunca vi ex-viado! Né não?” É, João, essas são sábias palavras! E explica porque a população arco-íris tem aumentado tanto ultimamente!

Mas voltando ao assunto principal. Homem sofre rapá! Se ele não for acusado de homossexual por um dos motivos que citei acima, ele ainda sofre vários outros tipos de bulling, porque pra ser homem, tem que pegar mulher; se não for cafajeste, não serve! E aí todas as mulheres vão se revoltar e tacar pedras em mim, calma lá, ué! Lembrem bem daquele ditado: Mulher gosta mesmo é de cachorro! Isso é a mais pura verdade.

Todas vivem dizendo ‘eu queria um cara direito para mim’, mas não basta ser direito, se for direito ‘é sem sal’, ou seja, tem de ser ‘cachorro’, mas se for cachorro e burro, não presta! Vai entender. Agora tente explicar isso para um garoto de doze anos que se apaixonou pela menina mais bonita da sala, e não consegue falar com ela, por ela só se interessar por caras mais velhos.

Ser homem é ainda mais complicado, pois se você vai para uma festa e passa em branco: é virgem; Se pega uma mulher só: é otário; Se fica com várias (incluindo feias): é cachorro; se fica com uma só (gata): é dos bons; se fica com várias gatas: é O CARA. Só que parem e pensem, o que é preciso ter na cabeça para beijar uma mulher e dez minutos depois estar indo atrás do próximo rabo de saia? Nada.

O machismo que vivemos ao mesmo tempo beneficia, e complica a vida masculina, pois tem várias ‘leis’ para que possa beneficiar.

Você conhece uma mulher gata, pega o número dela, e no outro dia fica a dúvida: ligar ou não. Se liga, ela despreza, se não liga é calhorda. Ok, não há nada de simples nisso. Ter o poder da escolha só complica ainda mais.

Resumindo: um homem não pode dançar bem que é chamado de bicha; não pode se vestir bem, se arrumar muito, ou ser um tanto quanto vaidoso, que é chamado de bicha; se é romântico, acaba por ser trouxa. Ou seja, se deixa seus instintos carnais lhe controlarem, é cafajeste, se não deixa, é sem sal. Ora bolas, alguém explica então o que fazer! Essa tal da arte de cortejar é deveras complexa para que um garoto apaixonado consiga dominar!

Aliás, corrigindo. Um homem pode sim chegar numa boate e dançar até cansar; pode se esbaldar na pista de dança, ser o rei da noite; porém no final, muito provavelmente, a maioria das pessoas que o virão dançando vão chegar a uma conclusão simples: bicha. Não é nóia, nem complexo machista, é só o que falam sobre homens, quando não gostam dele!

A única coisa boa de ser homem, é de fato ter um pinto e não um piu-piu. Urinar em qualquer lugar é a maior vantagem que já existiu; e consequentemente qualquer complicação que ter um piu-piu possa gerar como cólica, gravidez e todas as outras ladainhas! O resto, é tudo balela. Então mulheres, não se sintam tão infelizes nos dias transtornados, pensem o seguinte ‘podia ser pior: podia não existir chocolate e filmes água com açucar, além claro dos rémedios contra cólica’.

13
set
10

É tudo coisa da sua cabeça, tolinha!

“Queria ser homem”! Confesse, alguma vez na vida você, minha cara leitora, já teve esse pensamento. Tem dia que você acorda fula da vida porque, porra! é sábado, tá um sol danado e você só queria ir pra praia. Mas, como sempre, quando pode dar errado, dá: você tá menstruada. E você pede aos céus um pouquinho de paciência pra terminar a droga do trabalho, mas não consegue por conta da maldita cólica. Calma que tudo ainda pode piorar: sempre tem um namorado filho da puta que chega com a conversa de que TPM, cólica, hormônios a mil(…), é tudo coisa da nossa cabeça, que é puro exagero!

Daí você chega em casa e se olha no espelho, tcharam! Tá linda, toda inchada! Começa a chorar, ninguém te compreende… Cinco minutos depois, você tá com ódio mortal da sua irmã que tirou o dia pra pentelhar o seu juízo. Aí você corre pro chocolate, pro bolo, pra empadinha, macarronada, trufa, pizza, coca-cola, pastel, mais chocolate, mais coca-cola, pipoca e comédia romântica. E aí você chora mais, depois briga com a melhor amiga, faz cachorrada em casa com a mãe quando as TPM’s coincidem. Você tenta novamente o espelho e percebe uma constelação de espinhas no seu rosto! É tudo coisa da sua cabeça, tolinha!

Entre caixas de O.B., atroveran, cházinho da vó, receita de o que comer e o que não comer nessa época, você sofre e sofre mesmo. Vamos lá, você vai pro trabalho, você tem que ir! O mundo não para por conta do seu ciclo menstrual(infelizmente!). Chega no ônibus e senta, com a maior nóia, será que vai melar? Aí você levanta e pensa: cacete, é agora… vai transbordar tudo! Mas, você sempre sente isso e geralmente é só a sensação, mas dessa vez, o dia é especial! Quando menos espera, a merda do absorvente não deu conta do seu querido fluxo. Oba, o melhor é que foi um cara quem veio te avisar! Aí você vai escondendo como pode a mancha: com a bolsa, com a mão, com a pasta, se virando pro lado da parede e andando feito caranguejo. Vai, minha filha, quem disse que ser mulher era fácil?

Festa na praia? Pense na infra-estrutura que isso exige! Mil cremes (que você já usa geralmente mas, você tem que reforçar a dose porque o cabelo e a pele na praia ficam uma bosta), chapinha, secador, blush, corretivo, hidratante labial, duas opções de perfume francês(pro caso da sua amiga levar o mesmo que você), rímel, shampoo, condicionador, desodorante, pó, reparador de pontas, fixador de maquiagem, várias opções de sapatos e roupas… Agora pense comigo amiga, se você fosse homem precisaria de: Um look, shampoo e condicionador, sabonete, desodorante, perfume e só!

Show, carnaval, barzinho, ou saída com as amigas pra boate? Pense agora no trauma por não poder fazer xixi em pé. Pense naqueles banheiros químicos, pense na falta de equilíbrio depois de umas e outras, pense na parte interna das pernas molhando com xixi e vômito dos outros… Pense naquele banheiro com uma iluminação terrível, cheio de mulheres lutando por um espaço no espelho para retocar a maquiagem, pense em você com seu vestido e sapato altíssimo novos, fazendo a equilibrista pra segurar a porta(que nunca tem uma tranca que funcione), a bolsa pendurada no pescoço balançando como nunca e batendo em tudo que é obstáculo, daí você se abaixa pra pegar o papel higiênico(que tá sempre terrivelmente posicionado), enfim… um caos! Imagine você simplesmente abrindo o zíper, se posicionando e aliviando – agora volte à realidade, você não é homem.

Essa é especialmente pra você, amiga que ainda se preocupa com a sua reputação: chegou numa boate, analisou o ambiente e percebeu 3 daqueles caras que você sempre quis ficar, daqueles que tão no seu top 5, e ainda de arrasto o seu ex mais recente com aquele amigo gato. Os cinco tão a fim de ficar com você. Você olha pra um lado, olha pro outro e realiza: você não vai ficar com nenhum. Agora imagine se você fosse homem… você pegaria as três meninas, a sua ex mais recente, a amiga dela, a prima dela, a amiga da amiga dela… e ninguém ia se importar com isso.

Depois de todo o trauma tê-pê-emico, você já está naturalmente sensível e/ou irritada, e ainda passa o dia esperando uma ligação do cara que ficou na noite anterior? É aí que você cai na real: ele não vai ligar. Geralmente não ligam, eles pedem o telefone pra cumprir um papel. É isso que se espera de um cara que te pegou loucamente. Eu repito: é isso que se ESPERA. Então, não espere. Se ele ligar, vai ser um bônus, encarando assim, fica mais fácil. Porra, mas se você fosse homem, você que ligaria! Ou não ligaria… não importa, o que importa é que estaria nas suas mãos a escolha. Se você não é do tipo que vai atrás do que quer, que pega o telefone e tal, lembre-se que você pode não atender! Por isso, lembre de pegar o telefone dele também, pra saber quem está ligando.

Você acabou de parir uma criança, pega a revista no criado-mudo da maternidade e lê na capa: “Mulher: o sexo frágil!”… ah, vá pro raio que o parta! Tá na cozinha e aparece uma barata, seu namorado olha com uma cara de cu dizendo “Ah, amor, deixa a bichinha… não vai fazer mal a ninguém”, enfurecida pega a sua chinela e mata, depois pega uma vassoura e coloca ela no lixo. Tá um calor danado, mas você não pode tirar a blusa, afinal está no meio da rua. Deita pra dormir e tá tudo doendo, inchado, não tem posição ou atroveran que salve? Chegou louca no trabalho e quer matar o chefe? Calma mulher…

Eu tenho uma boa técnica, toda vez que esse pensamento vier a cabeça, lembre-se da piadinha de Adão e Eva! “Deus chegou para a Adão e Eva e disse: – Tenho um presente pra cada um. Adão desesperado começou a gritar que queria o dele primeiro. Então Deus disse: – Está certo, tome! E deu para Adão um pinto. Adão muito satisfeito corria pelos matos mijando em tudo que era árvore e balançava o pinto pra lá, e balançava pra cá, subia e descia… daí Eva virou pra Deus e disse: e pra mim, Senhor, o que vai ser? E Deus responde: cérebro Eva, cérebro…”

E sim, Alice está nervosa, abusada, de TPM, morrendo de cólica, lembrando da piadinha infame de Adão e Eva, falando dela mesma na 3ª pessoa e querendo ser homem(só por hoje). Pega essa promoção!

10
set
10

A Triste Arte de Rejeitar

Esse texto não é de minha autoria, recebi por e-mail de uma leitora do blog, pedindo para postá-lo, então, aqui está:

cant

“Mesmo nossa própria dor não é tão pesada como a dor co-sentida com outro, pelo outro, no lugar do outro, multiplicada pela imaginação, prolongada em centenas de ecos” – A Insustentável Leveza do Ser.

Durante muito tempo pensei que a pior angustia era a de ser rejeitada por alguém, gostar dessa pessoa, estar disposta a fazer tudo por ela e não receber nada em troca. Garanto que muitos pensam a mesma coisa. Só que esse pensamento só dura até o momento em que você tem que rejeitar alguém. Obviamente, quem rejeita pelo simples fato de não ter nenhum tipo de carinho ou respeito pelo outro não sente muito. Mas quando se tem que rejeitar para não enaganar uma pessoa querida, a dor é muito maior que a de ser rejeitado. O sentimento de angustia que você sente quando percebe que não consegue retribuir o carinho de alguém que está lhe dando tudo que tem é 10 mil vezes mais pesado que o do outro. Isso, porque você se culpa por não está consguindo sentir o que gostaria de sentir, está magoando alguém de extrema importancia, sabe a dor que o outro está sentindo(pois você também ja passou por isso) e se sente impotente, pois você gostaria de tomar uma atitude em relação a tudo isso, mas não sabe como tomar essa atitude. Isso tudo me remete a uma outra frase de Milan Kundera: “Torturava-se com recriminações, mas terminou por se convencer de que era no fundo normal que não soubesse o que queria: nunca se pode saber aquilo que se deve querer pois só se tem uma vida e não se pode nem compará-la com as vidas anteriores nem corrigi-la nas vidas posteriores.”

Não sei até onde estou certa, mas sei que não podia continuar sentindo que estava engando alguém, pois na minha mente, a palavra mais importante para um relacionamento é lealdade. Ser leal é mais do que ser fiel, mais do que ser sincero, mais do que ser respeitoso, ser leal é reunir tudo isso em um só adjetivo. Talvez a sinceridade de uma pessoa leal seja bruta, dolorosa, mas posso garantir que é a melhor dor que se pode sentir. Isso mesmo, pois na hora doi, e doi muito, mas depois você percebe que foi melhor ter sentido aquela tristeza por uma verdade, do que por uma mentira, pois pior que se sentir rejeitado é sentir-se enganado.

Não sei se todos concordam com isso, mas é o que penso no momento. Talvez eu aprenda que nem sempre deve-se agir com lealdade, aprenda que as vezes é melhor mentir para evitar uma dor maior no outro, mas agora, o mais justo para mim nao é a mentira. Tentei durante todos esses dias pós-término cuidar dos sentimentos de quem deixei para trás, respeitei a dor, a mágoa, e tentei ser o mais clara possível quanto aos meus sentimentos, mas o que venho percebendo é que devido as minhas verdades só consegui mais raiva, mais mágoa e ser interpretada da pior maneira possível. Por isso me pergunto, será que a verdade realmente é a melhor maneira de resolver problemas? Sempre ouvi isso e quando decido praticar tudo se volta contra mim. É amigos, a vida é mesmo muito contraditória, será que as pessoas relamente gostam da verdade? Desconfio muito disso. Acredito que agumas preferem viver na ilusão de uma mentira.

Sempre me coloquei como “a rejeitada” e sempre achei essa a PIOR posição. Só que percebo que pensava isso porque todo mundo tem uma quedinha pelo sofrmento alheio, é sempre mais comodo ficar do lado de quem foi abandonado e condenar quem abandonou porque são poucas as pessoas que passam por essa situação(a de abandonar) e sofre. As pessoas são egoístas, e talvez, por isso não sofram quando têm que abandonar um relacionamento. Não pensam no que o outro está sentindo, só no quando ele vai se sentir bem! E isso acaba gerando uma visão maniqueísta onde o bem é quem foi abandonado e o mal foi quem abandonou.

Tereza.