26
dez
09

conceitos, pré-conceitos e preconceitos.

kiet

Eu estava discutindo com uma amiga minha, sobre conceitos.

Tecnicamente falando, estavamos falando, do que é certo, e do que é errado. Antes de mais nada, não vou expressar minha opinião, sobre o que acho de qualquer coisa, vou só defender o que, costuma-se a chamar de errado. Tal igual eu fiz quando falava com ela.

Humanos precisam de príncipios, porém, engana-se, quem acha que seus principios são “ser sincero, ser amável, ser gentil, ser altruísta”, se você olhar bem, vai perceber que, só de viver nessa sociedade, você não é sincero consigo mesmo, não é amável o bastante, gentil ou altruísta. Afinal, nada mais é que, puro egoísmo, aceitar que foi o destino, que te fez ter uma vida mais afortunada do que a de semelhantes que passam miséria. Temos de ser egoístas, isso é fato, por isso que eu pergunto.

Porque somos hipócritas o bastante, pra dizer que não somos egoístas, mentirosos, ou qualquer adjetivo perjorativo quando falamos de:

Trair, roubar, mentir, fingir… Isso é tudo errado. Na maioria das vezes sim, nem sempre é.

Por exemplo, quem condenaria, uma mãe, que por ver o filho passando fome, roubou comida numa loja. Quem ousaria a pensar mal de um pai, que invadiu um hospital, com uma arma, mantendo várias pessoas como réfens, para que seu filho tivesse sua vez adiantada, na fila dos transplantes de coração?*

A lei é clara, e esses dois teriam de ser presos.

Tal igual a roubar, serve mentir, trair, fingir. Porque, dependendo das circunstâncias, a intenção não foi de toda ruim. Sabe, uma prima minha, que descobriu ser corna, recentemente, estava pensando em trair, e aí eu intervi dizendo “mas ai tu vai estar sendo pior que ele”, e ela retrucou “lógico que não, estarei me igualando a ele”, eu repliquei prontamente “eu já te disse, traição não tem justificativa, foi só que aconteceu, ele muito provavelmente não planejou, traição não tem desculpa, motivo, ou justificativa, mas tem perdão, quando ela aconteceu sem ter sido planejada” ela parou e pensou, e ficou calada.

Longe de afirmar, que quem trai está certo. Mas é só que, às vezes, o acusado, não é tão culpado assim.

É a mesma coisa com mentiras e falsidade. Tem mentiras que existem para o bem, para proteger, às vezes omitir, protege um coração da verdade dilascerante. Não é bem melhor uma mentira que corta, mas que prepara o corpo pra o veneno da verdade? E aí quando ela acontece, nós já estamos meio imunizados, e a dor, é só que o corte reabriu, mas, com certeza, é menos que a verdade fatal.

Não existe certou ou errado, tudo é ponto de vista. Assim como não existem contos de fadas, certo?

Mas como fazer uma menina apaixonada, acreditar nisso?

Antes de crucificar alguém, tente se por no lugar dele. Eu aprendi isso num livro**, se chama “coração de pedra”, é rara habilidade, de antes de tomar um partido, se colocar na pele do acusado, depois na pele da vítima, e ai, por último, se colocar na pele do juiz, e só assim, você consegue ter uma opnião justa.

Só que somos, humanos, e seres humanos, são erroneos por natureza, pedir que alguém consiga realizar o coração de pedra tão bem, é a mesma coisa de pedir para o amor ser concreto. Simplesmente não existe. Só que, assim como os contos de fadas, eu acredito, e tento realizá-lo.

Será que trair, mentir, roubar, fingir é, de fato, errado?

Só existe uma coisa errada, matar. Pois isso não tem volta, não tem como se reparar esse erro, os outros, estes, podem, às vezes, serem perdoados.

Ou seja, conceitos são mutáveis. Pré-conceitos, são erroneos. Preconceitos são um absurdo. Nada tem 100% de certeza, tudo é nada, e nada é tudo. Deus quis assim, que sempre buscassemos mais, mesmo sem saber o que estamos buscando… Então porque devemos nos preocupar em rotular as coisas? Não condene, sem antes dar um julgamento justo, pois justiça, é o que todo ser racional, tem direito.

*Um Ato de Coragem, com Denzel Washigton
**O Nome do Vento, de Patrick Rothfuss (indico para aqueles que procuram uma ficção digna de liderar os 10 mais vendidos do New York Times)


2 Responses to “conceitos, pré-conceitos e preconceitos.”


  1. 1 JCesar
    2 de janeiro de 2010 às 1:30 PM

    cara, vc viaja muito,
    e mefaz viajar na sua viagem
    hauhauhuahuahuahuauhau

    nao sei mais do que tenho certeza!

  2. 2 Loli
    30 de março de 2010 às 1:46 PM

    fiquei vagando pelos seus textos antigos,
    e vi esse, que ainda nao tinha lido,
    é tao polemico, e tao construtivo,
    adorei o jeito de re-pensar sobre tudo,
    voce seria um otimo advogado ou psicologo!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…
    beijos


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: