02
dez
09

aversão ao cupido.

cupidtt

Margarida realmente não sabe o que quer. Está sempre lá, quando quer estar cá, e vice-versa. Esse negócio de escolher, não é com ela, seu charme está justamente, na confusão que dá pra perceber em seus olhos de âmbar dourado.

Cabelo despenteado, vestidinho azul, seguindo na moda de Katy Perry, com seus cabelos cor de carmim ela segue chamando a atenção de inumeros pretendes, só que ela não tem pretensão sobre nenhum deles, simplesmente, porque seus desejos não podem ser atendidos, seu passado foi marcado por inúmeras desilusões. Também de três ex, e dois amigos, ela prefere não ter lembranças, simplesmente porque eles quiseram apenas ser egoístas.

Eu não sei se ela me considera um amigo, espero que sim, eu não quero nada além do seu bem, porém, acho difícil que ela um dia perceba isso, mágoa se torna trauma com tanta facilidade. Fica fantasiando que o amor é algo impossível, e que a beleza do romance está restrito as telas de cinema.

E assim, o tempo foi passando, ela se enrolando, dizendo que enquanto não achasse o certo, iria se divertindo com os errados, o problema é que ela nunca quis saber se eles eram o certo, ou o errado. Entre uma valsa e outra, ela vai mudando de ninho, pois o que mais tem medo, é de ficar sozinha. Mesmo sem querer se abrir com ninguém, pra ela o relacionamento nunca vai dar certo, tem validade.

Só que eis que aparece, um diferente, recitando cantadas de cafajeste, com uma voz rouca, esperando que ela inale seu charme. Ela se nega a admitir, diz que nada existe, que ele é ridiculo, por tentar algo tão… Sincero. Mas quem disse que ele desiste? Não, ele é apenas um louco que diz ser servo de Afrodite.

Eu desviei um pouco meu olhar, para observar minha amada dançar, e quando voltei meus olhos para Margarida, ela já estava com aquela reação lenta, toda vez que ele sussurrava em seu ouvido, ela ficava com aquele tipo especial de sorriso, mesmo sem admitir, ela já foi enlaçada pelo amor. Ele está no caminho certo.

A moral, é que o amor acerta até quem tem aversão a ele. Margarida nunca soube dançar, mas agora ela começa a gostar de valsar. Agora vou me calar, e voltar a ver minha amada dançar.

Ou você pode chamá-la de Helena


5 Responses to “aversão ao cupido.”


  1. 2 de dezembro de 2009 às 11:55 PM

    Eu sempre achei que essa música daria um bom conto.
    E não é que deu? O final então… lindo!
    beijos

  2. 4 de dezembro de 2009 às 6:27 PM

    É brincadeira…
    EU SOU UMA MARGARIDA!

  3. 9 de dezembro de 2009 às 8:29 PM

    A moral, é que o amor acerta até quem tem aversão a ele.

    adorei o textoo, concordo com isso 🙂

    um bjo

  4. 4 Loli
    11 de dezembro de 2009 às 1:25 AM

    adoooooooooooooro essa musica, fazia tempo que nao vinha aqui

  5. 5 Nanda G
    2 de janeiro de 2010 às 1:31 PM

    qro ser q nem a margarida!
    sera q encontro o meu principe torto?

    kkkkkkk…

    beijos


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: