16
nov
09

Aos recém-solteiros.

  Pensando nos meus momentos de psicóloga, onde meus amigos vem falar sobre relacionamentos e seus finais, percebi o quanto pode ser difícil ser recém-solteiro. Devo dizer que realmente existe uma diferença gritante no que diz respeito aos sexos. Homens e mulheres superam de formas diferentes e em tempos diferentes finais de relacionamentos. Dar ou levar um pé na bunda vai ser sempre difícil. Já que tanto quem dá, quanto quem leva, sofre com a situação. A diferença está basicamente no tempo que a fossa vai durar. Digamos que os recém-solteiros podem adquirir manias que auto-boicotam sua recuperação.

  Tenho um amigo que sempre que começa um namoro, não vê a hora de acabar… Mas quando acaba, ao invés de ficar aliviado e ir curtir, entra numa fossa que não tem mais fim (então porque cargas d’água ele começa? Também não sei!). Tenho uma amiga, que por mais que goste um pouco do cara, se sente suuuper radiante (ela sofre vai, por uns 3 dias) ao fim de um relacionamento, porque preza demais por sua liberdade. Mas esses são relacionamentos de curta duração, o problema é quando acaba um relacionamento de muito tempo, e você acaba ficando meio “perdido” no mundo dos solteiros. 

  Agora a diferença é crucial. Não que os homens não sofram verdadeiramente por amor, o pelo fim dele. Talvez eles saibam lidar melhor com finais (ou não). Tem uns que sofrem mesmo, pra valer (eu conheço!)… Mas o ponto é que talvez, nós mulheres, gostemos de prolongar esse sofrimento e curtir nossa dor de cotovelo pra valer. Ao acabar o namoro, homens tem seu momento de luto, mas pouco tempo depois já estão por aí.

  No começo eles se sentem mal (principalmente se levarem o pé na bunda, ou se realmente gostavam da namorada), mas depois vem a sensação de liberdade inigualável. Talvez eles não sejam, mas se sentem os últimos homens do planeta terra. É só atravessar para o lado dos solteiros e eles passam a imaginar um monte de mulheres desesperadas para conhecer homens como eles (principalmente se ele tem um amigo galinha e solteiro). 

  Aí eles se esbaldam, pegam quem querem, curtem intensamente o momento… Até caírem na real, perceberem que não vão ter aquela pessoa que amavam mais, e começarem a sentir falta. E aí, todo mundo sabe, eles vão atrás (na maioria das vezes) e tentam recuperar o que perderam (porque os homens são competitivos e não suportam perder algo, principalmente a namorada). Provavelmente vocês se acertam, ou não. O fato é que eles não perdem muito tempo. Quer? Ótimo. Não quer? Lamento (e vão curtir mais e mais, para talvez muitos e muitos anos depois, arrumarem outra namorada).

  Agora, no caso das moçoilas, as coisas são mais complicadas (claro! Somos mulheres). Você estava acostumada com cinema, pizza, casa da sogra, DVD e cunhados pentelhos. De repente, o namoro acaba e fim de papo. Você não tem mais aquele pedaço enorme que a outra pessoa ocupava na sua rotina, e aí sim, o que sobra é um vazio enorme, um vazio no coração e outro no seu dia a dia. E você fica perdida, sem saber como ocupar seu tempo novamente. Sexta-feira, 22h e você está em casa, de pijama, deitada no sofá, sem saber o que fazer… Até sua amiga solteira e sem juízo ligar, chamando você de volta à vida. Você tenta, mas não está em clima de balada. Sorri, conhece uns caras legais, dependendo muito, muitíssimo do caso até fica com alguém (um mês depois). Às vezes, bate o desespero e você vai atrás, chora, pede pra voltar, escreve cartas sobre a história de vocês… Dependendo da sorte e do destino, pode funcionar.

  Você está completamente certo se está lendo e pensando: “mas, cada caso é um caso”. E eu concordo, mas acho que generalizações podem ser feitas para ajudar os recém-solteiros. Em caso de fossa, vide texto e veja como não se boicotar. Primeiramente, meu conselho é: se tiver vontade, chore… mas chore mesmo, até secar. O primeiro passo para superar algo é aceitar que você está com problemas. Curta sua fossa, mas por pouco tempo!

  Não destrua seu apartamento, nem o do seu ex. A princípio, esconda tudo que for possível, das coisas que lembrem o relacionamento de vocês. Só de cabeça fria você vai saber que é melhor doar aquele ursinho gigante do que rasgar ele em quinhentos milhões de pedaços. Não escute as músicas que eram de vocês, por favor gente! Se for preciso, delete. Não tente provar a Deus e o mundo, que você está bem, porque todo mundo sabe que você não está, ou espera que não esteja. A pessoas vão sim, olhar pra você com cara de “poxa, mas um namoro de 4 anos acabar assim… Tem volta?”, ignore.

  Evite colocar aquelas frases idiotamente felizes no seu subnick no MSN. A quem você está querendo enganar? Além de passar por boba, dependendo da frase, pode passar por vulgar. E evite mais ainda frases romantiquinhas de músicas sobre fim de namoro, que todo mundo sabe que são para o seu ex, mas você acredita piamente que só você e ele sabem. É lógico que você vai querer ligar, ouvir a voz dele, dizer que ama e está com saudade por um tempo. Controle-se, você não vai lotar o celular dele de ligações e mensagens. Pense o quanto isso pode parecer desesperado. Quando a vontade bater, ligue pra uma amiga, ou amigo, e fale sobre qualquer outra coisa que não seja o ex.

  Não saia por aí falando mal do seu ex. Foi bom enquanto durou, agora é a hora de cada um ser feliz com outras pessoas, quem sabe… Você não se sentiria bem se ele queimasse seu filme com todos os caras que ele conhece né? Pois é. Saia bastante, e só fique com outra pessoa se realmente se sentir preparada, se a sua feridinha tiver sarado de verdade. Não fique relembrando as coisas que vocês tinham e que você adorava… Não pense nas qualidades dele, não fique lendo e relendo cartinhas de aniversário de namoro, históricos de conversas no MSN, depoimentos… Quando o namoro acaba, é comum a gente dar uma ignorada nos defeitos que o outro tinha e passar a lembrar saudosamente só das qualidades. Procure lembrar das brigas, de alguma coisa nele que te incomodava tanto.

  Não adianta vocês tentarem essa de “vamos ser amigos, bola pra frente”. Não existe isso logo depois que acaba um relacionamento. Ambos estão magoados, confusos e precisam de um tempo sozinhos para realizar o que acaba de acontecer. Sem contar que normalmente, pelo menos um dos dois, ainda gosta do outro. E nesse caso, manter um relacionamento amigável provavelmente não vai ser saudável. Amizade entre ex namorados acontece sim, e até com mais frequência do que você pode acreditar. Mas quando os dois se dão um tempo, para ver se é realmente o fim, se sobrou alguma mágoa, ou se está realmente tudo bem… Dá pra tentar uma amizade.

  E muito cuidado com a sua volta ao mundo dos solteiros. A fossa pode potencializar o efeito do álcool. Então, cuidado com bebidinhas! Além de fazer o Fulaninho parecer mais bonito, divertido e interessante do que ele realmente é, normalmente dão uma ressaca terrível (e junto com a fossa, a pior delas, a ressaca moral). Se proteja, lembre que pelo mundo (principalmente pelas baladas), existem muitos lobos vestidos de cordeirinhos. Não se vê o caráter olhando para um rostinho bonito.

  E o principal dos meus conselhos e dicas: Não faça nada que o seu coração não quiser! Eu acredito em destino, se você tiver que voltar com seu ex e ser feliz para sempre, acredite, vai acontecer. O amor tem sempre mil caminhos para poder se achar. Enquanto seu destino não dá um jeito nisso, não fique de mosca-morta esperando que ele faça tudo por você; vá ser feliz, curtir sua vida… Sozinha ou com outras pessoas, pouco importa. Aproveite para cuidar de você, perder os quilos que ganhou enquanto esteve amarrada, fazer tudo que você gostava de fazer e, às vezes, não fazia para não incomodar o outro. Você querendo reatar o namoro ou não, o mais importante é você estar bem consigo, para depois poder estar bem com outra pessoa.

  Aproveite os dois mundos, namorar pode ser realmente ótimo, mas estar solteiro não chega nem perto de ser ruim!


"Não vou dizer que foi ruim. Também não foi tão bom assim. Não imagine que te quero mal. Apenas não te quero mais"

10 Responses to “Aos recém-solteiros.”


  1. 1 Nicole Duarte
    16 de novembro de 2009 às 10:22 PM

    Eu sou recém-solteira (ja falei q vc escreve pra eu ler né? sério a gente é amiga e não sabe??). Terminei esse ano um relacionamento de 5 anos e estava noiva. Sofri por 3 dias, bebi e dancei por mais uns 3, depois q dei o primeiro beijo numa boca que não era a dele tudo ficou para tras.

    É relativo, tive um rompimento, que dá minha parte pelo menos, foi maduro, tranquilo, mas ainda não consigo me encaixar na vida de solteira. O ritmo era mto diferente a 5 anos atras, as pessoas, o modo de vida, e meu corpinho de 18 anos q ajudava…rs

    Mas eu fiquei bem, e vivi com saude o amor e a solteirice!

    Se é que eu sirvo de exemplo né!

  2. 2 Marilda xD
    17 de novembro de 2009 às 1:58 AM

    Eu Amei esse texto meeeeu !
    suuuuuper verdade:
    “Aí eles se esbaldam, pegam quem querem, curtem intensamente o momento… Até caírem na real, perceberem que não vão ter aquela pessoa que amavam mais, e começarem a sentir falta.”

    MORRI com o nome do blog, Mara XP

    hehe!1
    BEIJITOS PARA VOCÊS :*

  3. 5 Mariana Bremecker
    19 de novembro de 2009 às 4:32 PM

    nossa, eu nem consigo mais me imaginar no mundo do solteiros, eu já fico perto das solteiras e me vejo um patinho estranho, imagina solteira, apesar que nem quero pensar nisso, se não atrai!

    Bjos.
    http://maribremecker.wordpress.com/

  4. 6 Nataly
    22 de novembro de 2009 às 8:22 PM

    Alice, esse texto seria tão útil pra mim há uns dias…
    Várias amigas largaram do namorado, eu eu fiquei: hã? o que dizer?????
    Mas agora, se as comprometidas que restaram voltarem a ocupar o mundo das solteiras, vou mandá-las para cá, para ler esse texto…haha… Muito bom!!!!

    Ótima semana!!!
    http://natalyfala.wordpress.com/

  5. 7 @gugadomingos
    24 de novembro de 2009 às 5:34 PM

    Gostei muito do texto!! Infelizmente nos dias de hoje temos que aprender cada vez mais a sobreviver e se recuperar dessas coisas..pq aqueles romances , casamentos e namoros antigos de 20, 30, 40 e 50 anos de duração, alguns até a vida toda..vão ser rarissimos de se acontecer novamente, como eram no passado…só digo uma coisa: APROVEITEM CADA MOMENTO!!!!

  6. 8 Luiza
    27 de novembro de 2009 às 6:04 PM

    Aos recém-solteiros? à mim, então!
    Adorei o texto… vale a pena ler e relembrar certas coisinhas que fazemos questão de esquecer ou até ignorar, achando que vai nos fazer melhor.

    Terminar um namoro nunca é bom, principalmente quando ambos se gostam mas, existe um problema maior! Mas, a vida continua… o importante é achar a felicidade em si mesmo.

    Beijos :*

  7. 27 de novembro de 2009 às 7:20 PM

    às vezes o grande problema de quem namora é não manter uma vida fora do relacionamento. os amigos ficam pra trás, as saídas para lugares mais movimentados também, e por aí vai. o isolamento não é o caminho de nenhuma relação. por isso que quando as pessoas ficam solteiras, na maioria das vezes, têm dificuldades para se entrosar novamente com os outros seres. rs

    já sofri demais com um término de 4 anos, mas após 2 anos e agora, tentando reestabelecer um contato amigável com o dito cujo, cada vez mais sinto e vejo que o término tinha vindo em ótima hora! mas naquele tempo.. eu não percebia. meus olhos estavam completamente fechados pra um menino completamente diferente de mim e um namoro que não tinha mais solução. 🙂

    beijos e sorte às recém-solteiras!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: