18
set
09

futebol x mulher

fut

Lembrei de um assunto muito pertinente, o tal do conflito entre mulher x futebol. Isso porque nós brasileiros somos apaixonados pelo futebol. E vocês sabem por que? É simples, o nosso país é tão cheio de falhas que a população ao longo do último século se apegou a esse esporte que era seu único motivo de alegria. Estranho não? Mas pare pra pensar, você consegue ‘lembrar’ (não que você estivesse vivo, mas você já ouviu falar?) de um grande jogo antes dos anos 50? Foi na época de JK, mas precisamente em 1958 que o Brasil começou a flertar com o futebol, enfim… Vamos ao que interessa.

Desde os primórdios (ou seja, da década de 60 pra cá), existe esse conflito entre as patroa e o futebol. Porque tudo é questão de um imenso tradeoff (entre no google pra descobrir o que esse termo econômico significa), ao ir para um jogo de futebol, ver seu time jogar, ou simplesmente ao ir jogar bola com os amigos, conversar com os amigos sobre futebol, etc (enfim qualquer atividade relacionada com essa modalidade física) o homem abre mão de estar com a sua mulher.

Ai vocês mulheres não conseguem entender porque diabos um homem vai pra p$%%# de um campo de futebol, ficar suando num calor dos infernos, bebendo cerveja quente (hoje é proibido o comércio de bebidas alcoólicas nos estádios), gritando feito loucos nomes contra os juízes, e se arriscando a voltar pra casa fulo da vida porque a p$%%# do seu time perdeu… Realmente olhando assim não há um motivo lógico pra um homem trocar umas duas horas e meia com a sua mulher, dando carinho à ela. Mas ai é que está a questão que é feita há tempos! Por que então eles amam o futebol???

Porque homens são naturalmente carentes, e quando crianças, aprendem com seus pais, que o amor de um time de futebol, é pra toda vida (se ele é um torcedor de verdade, não vira a cassaca nem nos piores momentos), ele não vai nos dar um pé na bunda, não vai nos trocar por ninguém, nunca vai nos enganar, pode nos entristecer, mas é sem querer…

Eu disse isso a uma grande amiga minha e ela rebateu “Mas ele nem sabe que tu existe!” (ela fazia referência ao meu grandioso Náutico), e eu respondi prontamente “Eu sei, mas ele não precisa saber que eu existo, só precisa aceitar o meu amor”.

Não tem explicação, assim como qualquer tipo de amor, não da pra explicar, só da pra aceitar, por isso nada de você cobrar que seu namorado, ficante, marido, enfim parceiro, troque o seu time AMADO por você. E principalmente NADA de mandar ele escolher entre você o time amado dele.

Primeiro porque isso em si já é ridículo, pedir pra ele escolher entre duas coisas que ama, é a mesma coisa que pedi pra ele escolher entre você e a mãe dele, ou uma grande amiga, que você tem ciúmes, mas isso é errado, é medíocre eu diria. Primeiro porque, mesmo que ele te escolha, isso vai fazer mal à ele, e se você consegue ficar bem mesmo fazendo mal à ele, então você não o ama.

Comigo por exemplo, minha ex era timbu, o pai dela era diretor do Náutico, e tenho que confessar que isso era muito bom. A minha namorada atual (e espero que seja pra sempre), é rubro-negra (pobre coitada) e isso realmente torna as coisas difíceis em alguns momentos, mas eu vou fazer o que? Eu aceito que ela é Sport, até implico com ela um pouco, mas aceito, assim como ela aceita que eu seja Náutico, eu tenho certeza que ela às vezes se sente chateada porque eu deixo de passar uma noite com ela, pra ir pra um jogo, mas ela entende no final das contas.

Por isso, se quer um conselho simples, não tente competir com o time dele, se possível acompanhe ele nessas jornadas futebolísticas (isso se você não tiver um time, ou não se importar com o futebol), assim você vai estar fazendo ele MUITO MAIS FELIZ, porque pelo menos pra mim, se Aninha (minha namorada), você pros jogos do Náutico comigo, tudo ia ser tão mais perfeito… Mas ela nasceu rubro-negra (pobre coitada!!!) e eu não posso mudar isso, até quero, mas não vou fazer nada que ela não queira ;D

a skol fala melhor sobre isso que eu:

Daniel Gentilli tambem


9 Responses to “futebol x mulher”


  1. 1 Loli
    18 de setembro de 2009 às 2:07 AM

    daniel gentilli é muito fofo e engraçado,
    adoro muito.
    eu nunca fui trocada pelo futebol ainda bem
    rsrsrsrrsrsrssrsrrs

  2. 2 Coraline
    18 de setembro de 2009 às 2:41 PM

    o namorado da minha irmã é palmeirense e meu pai sao paulino
    ;]
    nunca da muito certo

  3. 18 de setembro de 2009 às 2:42 PM

    Oi, Bruno

    Eu sou o João – há alguma possibilidade de você ter visto (talvez lido) comentários meus em posts da Alice – aliás, até este momento, só comentei os dela. Assim, por respeito a você, que parece ser uma pessoa “do bem”, repito que considero o “Muito Melhor que a tua Ex” um blog muito legal. Os motivos são, basicamente, aqueles colocados pela Alice no comentário nº “4” ao teu post “Os opostos não se atraem”.

    Sou torcedor do Palmeiras, o eterno e glorioso Palestra Itália. Vou a jogos com muita freqüência – e olha que eu tenho também o “pay-per-view”; aliás, minha mulher, um tanto “puta da vida”, quase sempre me diz: “Pô, você já tem o jogo na TV, por que ir ao estádio?”. Aí eu respondo (de forma óbvia, confesso): “Ir ao jogo tem um outro calor, a ‘pegada’ é outra, entende?”. Ela não se convence muito, mas… Beleza.

    (Abro um parêntese: minha mulher também é palmeirense, a chamo para ir aos jogos, mas ela refuta; depois que ela foi a um Palmeiras X Cruzeiro – antes até de me conhecer –, jogo em que o Verde perdeu de virada, nunca mais pisou num estádio).

    Assim, creio que o “coração” do teu post está na conversa com a tua amiga, a partir daqui: “‘Mas ele nem sabe que tu existe!’ (ela fazia referência ao meu grandioso Náutico), e eu respondi prontamente ‘Eu sei, mas ele não precisa saber que eu existo, só precisa aceitar o meu amor’”.

    É exatamente isso! E daí que somos apenas mais um na multidão? O que vale é estar lá, devotando esse amor ainda que de maneira quase anônima! E, claro, antes dos jogos, na companhia de amigos(as), bebendo “umas”, porque ninguém é de ferro. Esse conjunto de coisas não tem preço.

    Assim, creio que há motivo lógico, sim, para “trocar umas duas horas e meia” para ir ao jogo e não ficar, nesse período, na companhia da parceira. Primeiro, porque entendo que não se trata de uma “troca” (creio que não existe essa palavra, mas nossas parceiras são, em tese, “introcáveis”); segundo, que praticamente todo o resto do tempo estamos com elas, dando carinho a elas etc.

    Assim como acontece com a tua “Aninha”, minha mulher também fica um tanto chateada, “mas ela entende no final das contas”. Até porque, insisto, elas não estão sendo “trocadas”. Ficar com elas é uma coisa e ir a jogos de futebol é outra. E coisas diferentes não podem, jamais, ser comparadas.

    É isso. Me desculpe pelo longo comentário.

    Um abraço.

  4. 18 de setembro de 2009 às 4:31 PM

    comentarios grandes sao muito interessantes 😀
    eu tambem acho isso, nao trocamos ela nunca, tal igual com os amigos, vou fazer um post sobre isso mais tarde
    =]

  5. 5 Alice
    19 de setembro de 2009 às 12:27 AM

    Bom, como eu fui o moleque que o meu pai não teve, não tenho muito esse problema. Assistimos juntos os jogos de times estranhos, vemos a corrida de fórmula 1… O único defeito do meu pai é ser alvi-rubro (pobre coitado!!), e eu tenho a grande qualidade de ser rubro-negra.

    Mas, enfim… O que quero dizer é que a essa regra, acho que existem muitas excessões. Eu não vou pros jogos, mas nunca achei ruim namorado meu ir a jogo de futebol! Principalmente os rubro-negros =D

    Assim como vocês, homens, tem a paixão pelo futebol. Nós, mulheres, temos nossas paixões… Há quem não troque uma tarde de compras no shopping com as amigas por nada, mas também tem as que não trocam um jogo do Sport por nada! Afinal, futebol é a paixão nacional! Homens e mulheres estão juntos nessa.

    E não tem como competir, são amores diferentes. Cada qual com a sua devida importância!

  6. 6 minhamaequemedisse
    21 de setembro de 2009 às 5:24 AM

    eu nuca fui trocada por futebol, mesmo pq eu sou fanatica e geralmente quem quer ver o jogo sou eu!rs

  7. 7 lalala
    27 de setembro de 2009 às 12:07 AM

    PORRA! “tradeoff” UAU! usou um termo roubado pela economia para mostrar que leu 3 capitulos de mankiw UAU.. FODAO vc hein? hahahahahhah meu deus! vc é hilario

  8. 8 de fevereiro de 2010 às 10:58 AM

    Estou a fim de organizar por aqui na região onde moro agora (nordeste paulista, Franca) um tipo de futebol misto (times com 6 homens e 5 mulheres), já existente na Itália, por exemplo: estou convidando a galera, quem sabe possamos fazer uma rede de futebolistas sem preconceito e com amor à bola e à vida. Abraços, paz, Padinha

  9. 8 de fevereiro de 2010 às 11:02 AM

    Estou a fim de organizar por aqui na região onde moro agora (nordeste paulista, Franca) um tipo de futebol misto (times com 6 homens e 5 mulheres), já existente na Itália, por exemplo: estou convidando a galera, quem sabe possamos fazer uma rede de futebolistas sem preconceito e com amor à bola e à vida. O fut pode ser uma nova fronteira da amizade homem-mulher.
    Abraços, paz e alegria.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: