11
set
09

Bye bye, love!

Me envolvi novamente com um cachorro (por sinal, que talento que tenho pra isso!). Nos conhecemos num barzinho, ele é melhor amigo de um colega meu da faculdade. Um mês de relacionamento aberto, daqueles que tanto ele pode se relacionar com outras, como eu posso me relacionar com outros… Ah, todo mundo sabe o que é um relacionamento aberto!

O problema é que não sei lidar direito com esse tipo de relacionamento. Já tentei algumas vezes, mas acabo me apegando. E quando vou me apegando, vou tendo ciuminho, resolvo dar logo fim ao relacionamento. Foi o que eu fiz, um dia depois de completarmos um mês, liguei para ele e disse que não via muito futuro na nossa relação, que era melhor parar por aqui (antes que fosse tarde). Três dias depois ele ligou perguntando se eu tinha certeza do que estava fazendo -bem, eu não tinha-, disse que isso era covardia da minha parte, e deu o último golpe (e certeiro) dizendo que não podia me prometer nada, mas que gostava de estar comigo. Advinha? É, eu cedi.

Voltamos nosso relacionamento aberto. Chegou o fim de semana e ele viajou para a praia, marcamos de nos encontrar numa segunda (o dia que ele voltaria). No domingo entrei no MSN e minha amiga veio contar as novidades do fim de semana, ela e a prima dela viajaram para a mesma praia do fulano. Ela, que não sabia do meu caso com ele, veio falar inocentemente: “menina, a Carolzinha foi cantada por um cara muito engraçado, ele só chamava ela de chaveirinho! Thiago, não sei se tu sabe quem é…”. Eu disse que sabia quem era sim, e como você já deve ter imaginado, o Thiago era o “meu” fulano. Eu não me contive e perguntei o motivo deles não terem ficado, ela respondeu: “como se tu não soubesse né? Todo mundo sabe que ele é o maior safado, que pega geral… Mas, ainda assim, não sei como a Carol não caiu em tentação, ele ficava dizendo que tava encantado por ela e um monte de coisas bonitinhas!”. Eu, mais constrangida que antes, disse que também não sabia como ela não tinha caído em tentação (que merda, eu caí!). Ela completou: “ Carolzinha disse que ele tem um blog e tava me mostrando, lá ele meio que ‘relata’ as ficadas dele… Aí ela tava rindo e dizendo que ainda bem que não ficou com ele, se não ia virar mais um post!”. Me fiz de desentendida e pedi o link do blog, entrei lá e perguntei: “Qual desses caras do blog deu em cima dela?”, ela respondeu que era o da segunda fotinha, e eu confirmei que era o “meu” fulano. Inventei uma desculpa qualquer e saí do MSN.

Passei o resto do dia pensando no que faria da minha vida, minha única certeza é que isso não ia continuar assim. Horas depois, outra amiga (essa sabia que eu estava com o Thiago) me ligou. Contou essa história da Carol, e perguntou o que eu faria. Eu respondi: “nada, eu não posso fazer nada né? Ele não é nada meu, eu sempre soube que seria assim, tanto ele tem liberdade pra fazer o que quiser, quanto eu. Não me iludo achando que ele sente algo especial por mim, mas claro que me incomoda quando alguém vem contar algo assim.”. E era verdade, isso sempre foi claro na minha cabeça, mas não no coração. Não, eu não estava apaixonada, mas antes que ficasse era melhor pular fora. Isso nunca vai ser covardia, isso é praticidade, é enxergar que na frente tem um obstáculo e desviar. Tolice é ser corajoso e meter a cara no obstáculo!

O que mais me incomodava era o fato dele ser “imune”a mim, ou o meu “predador natural”. Não sou a mais bonita, nem a mais simpática, muito menos a mais atraente das garotas. Mas, sem falsa modéstia, não sou de levar foras. Normalmente, quando eu entro num relacionamento, só acaba porque eu quero e quando eu quero. Eles sempre querem algo mais. Mas dessa vez não foi assim. Concluí que sou mal acostumada mesmo, não aprendi (nem quero aprender) a correr atrás de ninguém.

Resolvi que eu não precisava disso. Eu não ia continuar com ele só pra provar pra ele e pra mim mesma que não era covardia, e que eu não tinha medo de me apaixonar. Eu sabia que, na verdade, eu estava cansada de perder meu tempo com algo inútil (e pra mim isso bastava). Afinal, se ele é “imune” a mim, isso tudo era tempo perdido, era só pra não ferir meu orgulho, pra mostrar que eu consegui o que ninguém acreditava (um relacionamento estável com alguém do tipo dele).

Esperei a segunda-feira ansiosa. Disse a ele que nunca daria certo por dois motivos: primeiro: ele adora essa vidinha de putaria dele (com o perdão do termo). Segundo: Ele não se permitia gostar de mim, porque enquanto tava comigo, tava com mil e acabava não se apegando a ninguém. Falei também que não era boa com relacionamentos abertos, que não tinha necessidade nem saco de ficar me submetendo a esse tipo de coisa, e que não valia mais a pena pra mim (não tô mendigando amor, nem atenção…).

É só uma questão de raciocínio, toda relação é um pouco movida pelos interesses (e não num sentido pejorativo, e sim de cada um buscar algo, ter suas expectativas). É só colocar na balança “custo e benefício”, se o custo for maior que o benefício, abrimos mão. E priu…Como diriam os Everly Brothers: “Bye bye, love. Goodbye to romance that might have been…”. Te vejo em outra baladinha e quem sabe a gente não curte um “remember”?


“And I am cold… Yes, I’m cold but not as cold as you are.”


8 Responses to “Bye bye, love!”


  1. 11 de setembro de 2009 às 2:32 AM

    eita amiga.. arrasou… o paquerinha era safado msm neh???? kkk
    adorei o post e no fim ainda teve um conceito todo social.. relação de custo e beneficio.. tah fazendo a lição de casa direitinho hauhauha…
    adoreii

  2. 2 Nataly
    11 de setembro de 2009 às 1:51 PM

    Hahaha, adorei o post, ainda mais a constatação (que merda, eu caí!), haha, um dia a gente sempre cai, por mais espertas e inteligentes que somos…

  3. 3 moniquerosabrasil
    11 de setembro de 2009 às 2:44 PM

    Eu jamais teria essa tua coragem de ao menos tentar um relacionamento . “Sentimental eu sou. Eu sou demais.” ahhaha
    Retribuindo a visita inesperada.

  4. 4 thieresluiz
    11 de setembro de 2009 às 6:50 PM

    ixxi mais que nada! esse cara aew naum te merece naum!!! só por esse post da pra ver o tipo dele! você é mt bonita (pelo menos é o que mostra a fotinha ali) e vai conseguir coisa mt melhor!!!

    finalizou o post da melhor maneira possível! franz ferdinand é 10! e walk away é 1000!

    preocupa naum gata… o mundo da mt’s voltas!

  5. 11 de setembro de 2009 às 7:39 PM

    É isso aí, mico leão!

    Agora lembra de uma coisa: figurinha repetida num completa álbum!

    Partipaôtra.

    :*

  6. 11 de setembro de 2009 às 10:51 PM

    ainda bem que ele se mostrou cachorro logo,
    assim tu nao se machucasse
    =]

  7. 7 tina medeiros
    12 de setembro de 2009 às 4:41 AM

    Menina esperta!!! É isso aí… Sempre preste atenção aos sinais. Abraços e obrigada pela visita.

  8. 14 de setembro de 2009 às 11:25 AM

    Alice, vou me meter ta?

    Deu explicação d+ ainda se justificando em terminar mais uma vez.

    Deveria ter dado uma bela gelada, sumida, e tal, afinal a relação é aberta.

    Mulher tem mania de se explicar d+ e eles nem ligam pra isso. O melhor a fazer é sempre não demonstrar as coisas e se mostrar empolgada com outra situação, outra pessoa, tipo “desculpe, não sairei hj como combinado pois tenho outro compromisso” e deixar o FULANO sim com a pulga atrás da orelha.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: