31
ago
09

Apenas um feitiço

affd

“Todo cachorro vai encontrar sua coleira”. Isso sim deveria ser um ditado popular… Por que? Bem… Porque é a mais pura verdade. Tava lembrando de um grande amigo meu, que foi um dos maiores cachorros que já vi na vida (ele era o tipo mais “fofo” de cachorro, aquele que não é cachorro por querer, é apenas porque as pessoas o tornaram assim…), está agora totalmente encoleirado! É realmente muito lindo vê-lo com a namorada, parece que dá pra ver os coraçõezinhos subindo ao redor deles, e o melhor é os sorriso besta que fica mostrando (ela também parece estar muito feliz).

Enfim, isso me lembrou que eu também estou assim. Meio ridículo, meio idiota, mas é como dizem “a flecha do cupido nos deixa idiotas”. O mais engraçado, é que eu nem queria estar encoleirado (não antes), agora estou muito bem, obrigado. Porque como disse no meu post anterior, eu sou do tipo Raposa, ou era… Bem eu gostava de aventura, quanto mais difícil o desafio melhor, e vivia enrolando uma, que quando passava da validade eu tinha que terminar (afinal nenhuma mulher aceita ficar ficando por mais de 2 meses, pelo menos não sem ter algum tipo de DR).

A nossa história é realmente interessante. Como eu a conheci? Bem eu fiquei com uma amiga dela, que hoje é uma das melhores amigas (o mundo realmente dá voltas), e ela tinha ficado com um amigo meu… Enfim, meio que 1 mês depois disso, como nem eu tinha vingado com amiga dela, nem ela com meu amigo (aliás eu até hoje brinco porque ela ficou com esse meu amigo… hsuihushhsishsuihsui, ela não gosta muito de lembrar disso), eu comecei a flertar com ela, e a recíproca foi verdadeira, claro.

Acabamos num joguinho infantil de:

– Tu me ama – eu dizia
– Claro que não, tu que me ama – ela mostrava a língua.
– Eu? Tu é muito iludida e apaixonada por mim – eu respondia.

E assim sucessivamente… Desde o começo eu agia de forma estranha com ela, como se tivesse voltado a ser um menino bobo e apaixonado (eu ainda não tinha percebido isso na época), e quase 1 mês depois (por desencontros eu acho), a gente ficou (no cinema vendo ‘Twilight’, lembro que depois tive que baixar o filme pra ver, porque não assisti muito lá…). Estavámos no final do ano, e eu fui pra Salvador, ela pra Tamandaré.

(…)

Nos reencontramos em Porto de Galinhas, e aí, eu percebi que estava apaixonado, os papéis se inverteram, e eu me senti na obrigação de tentar um relacionamento sério. Ela quis ser difícil, eu não entendi a mensagem e voltei a agir como cachorro. Não deu certo… Eu não cheguei a consumar meus atos de cachorro, mas dei início aos trabalhos, ela soube disso, acabou numa noite de lágrimas e xingamentos… Nosso primeiro desentendimento.

(…)

Era carnaval, ela já estava com outro, que por ironia era um velho conhecido meu (um cachorro velho de guerra); eu estava ‘feliz’, porque estava SOLTEIRO! Nada melhor que o carnaval de Recife/ Olinda pra espairecer e tirar aquela garota chata que jogou um feitiço em mim, as garotas do carnaval conseguiriam retirar o feitiço, certo? Não, não conseguiram, e após uma semana de ‘aventuras na fazenda’, a raposa aqui estava de ressaca, mas não era ressaca por bebidas, era ressaca sentimental. Eis que surgiu a oportunidade, o destino estava do meu lado, ela vacilou feio comigo (esse foi nosso segundo desentendimento), e acabou pedindo desculpas, e aí me restava duas opções: 1. pisar e acabar com qualquer chance de darmos certo; 2. pedir uma nova chance à ela. Advinha qual das duas eu escolhi? A 2! (até hoje me surpreendo com essa minha escolha!). E aí eu fui lá e me declarei, como nunca tinha feito antes, como o menino apaixonado que descobri ser, o feitiço estava em mim, cada vez mais forte. Ela me prometeu uma nova chance, e eu aceitei esperar.

Um mês se passou, eu dispensei todas as minha peguetes e fiquei no aguardo. Ela dispensou o cara lá, e daí nós tivemos nossa chance. E aí quando eu tinha que dar em cima dela, o nervosismo apareceu, eu parecia ter 12 anos novamente, sem saber como me chegar numa mulher… ‘Maldito cupido’ eu lembro que pensei na hora, por livre e espontanea pressão de um amigo meu, eu fui até lá, e depois dela me cozinhar como havia feito no cinema na nossa primeira vez, a gente ficou, e eu estava totalmente feliz! Só que aí veio nosso terceiro desentendimento. No outro dia, a gente se estranhou, lembro que por causa da noite em Porto do nosso primeiro desentendimento ela me dizia que a música da gente era “Borboletas” de Victor e Léo, e era ela quem ‘cantava’. Pronto, agora a música passou a me ter como ‘cantor’, ela vacilou de novo e eu não estava disposto a perdoar.

Eu dei uma chance a uma garota que estava me cativando, que por ironia do destino (ou por Recife ser um ovo mesmo!) estudava na sala dela. Nós ficamos e eu fui gostando dessa garota. Mas faltava algo sabe? O tal algo especial… Então ela me pediu uma chance, tal igual eu tinha feito após o carnaval… ‘O mundo dá voltas’, ‘o feitiço virou contra o feiticeiro’ foi isso que pensei na hora, mas não pude negar que fiquei balançado, então eu me decidi. Eu fui frio com ela, fui malvado, cortei, e mesmo assim ela continuou a implorar por uma nova chance. E aí eu estava num dilema… Escolher com quem ficar… Eu sou como a raposa do pequeno príncipe, eu só queria alguém pra me cativar… Alguém que me fizesse feliz para sempre, agora eu tinha duas… Duas que eu tinha o carinho enorme. E aí eu fui enrolando o quanto pude, pensando o quanto pude, mas a resposta ficava cada vez mais óbvia, apesar de eu me negar a vê-la. E aí no final, eu não pude deixar de tentar outra vez. Eu morguei com a garota que estava ficando e dei uma nova chance a tal feticeira… E até hoje estamos juntos. Dia 11 serão 4 meses.

Mas porque eu escolhi ela? A resposta se divide em dois motivos, o primeiro é simples; eu não podia deixar de tentar. Porque se eu o fizesse ia viver com a possibilidade de ter dado uma chance, e provavelmente acabar com um arrependimento no coração. O segundo é que eu sabia que amava ela, lá no fundo, eu já sabia disso, por causa dos meus sonhos e aí… Tudo fez sentido.

Então é isso que quero dizer, nunca deixe de tentar, apesar de parecer que vai ser um erro, é melhor tentar e errar, do que não tentar. Você já ouviu aquele ditado “Levanta pra cair de novo”? Pronto, é isso, o ser humano existe pra isso, para errar e só então aprender com os erros. E, às vezes, ter a sorte de no meio desses ‘erros’ encontrar um acerto. Foi assim que encontrei o amor.

~um dos vários poemas pra ela~



10 Responses to “Apenas um feitiço”


  1. 31 de agosto de 2009 às 4:27 AM

    Rapaz… já que tu tais encoleirado ae, manda um post com as dicas de um bom cachorro… pq nas tuas estórias tu é pegador mesmo!

    Parabéns pelo namoro!

    E, vem cá… tu é recifense ou só passasse por aqui? A Alice também é daqui?

    Abraços e parabéns pelo post.

  2. 2 João P.
    31 de agosto de 2009 às 1:07 PM

    bela trilha sonora,
    tanananaran

  3. 3 Coraline
    31 de agosto de 2009 às 1:09 PM

    depois de tanta coisa,
    voces conseguiram ficar juntos
    que lindo
    n.n

  4. 4 Coraline
    31 de agosto de 2009 às 1:10 PM

    acabei de ler o poema
    é lindo *-*

  5. 5 Alice
    31 de agosto de 2009 às 4:11 PM

    Me desculpa Tôp, mas ainda não conheci um cachorro que é assim, não porque quer, mas porque o fizeram ser.

    Com esse post só consigo me lembrar de Vinícius de Moraes: “A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro na vida”. Que bom que vocês se ‘encontraram’ nessa vida! Li o poema, uma fofura.

    Tucatucz, somos Recifenses sim. Embaixo do cabeçalho, ou na barra lateral, tem um pouco sobre nós dois no “quem faz”.

  6. 6 marjoriebier
    1 de setembro de 2009 às 4:18 PM

    Algo lindo que li dia desses: “tão bom te amar na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, sem nunca ter te prometido isso”… amor livre! adorei!

  7. 7 Meg
    2 de setembro de 2009 às 12:58 AM

    Magavilhada estou Alice rsrs lindo post, retribuindo a visita, e o meu vc sabe, é pra rirmos um pouco no dia-a-dia. Apesar da correria virei sempre dar uma espiadinha e se quiser, faremos parceria.

    Beijos querida

  8. 8 Thaly
    2 de setembro de 2009 às 11:37 PM

    que historia bonitinha

  9. 27 de setembro de 2009 às 7:15 AM

    Very nice site! [url=http://oieypxa.com/oryrxyr/2.html]cheap cialis[/url]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: