19
ago
09

Conversa de Tico e Teco.

  b2 ..
Uma madrugada dessas estava mudando de canal quando encontrei um filme besteirol que me fez pensar. Na parte em que peguei o filme, a garota estava choramingando para a amiga que estava mal por ter visto o Ex com outra pessoa na rua. Partindo do ponto em que ela também já estava feliz com outra pessoa, me bateu a dúvida: “Mas por que cargas d’água essa criatura está aos prantos?”. Não faz o menor sentido!

  Como todo mundo sabe, não existe isso de regras para o que sentimos pelos nossos Ex-namorados. Cada pessoa tem sua reação com o fim de um relacionamento e isso também depende muito do momento, do ex e de diversos outros fatores. Como cada um é cada um e cada qual é cada qual, eu procuro entender os muitos tipos de Ex-namoradas; Tem umas que se sentem tão mal que vão chorar antes do texto acabar. Tem umas que conseguem ser amicíssimas dele. Tem outras que se dão tão bem que até ficam com ele “de vez em sempre”. É difícil, mas vamos tentar criar uma regra geral aqui: Se você fica mal, ainda gosta dele; Se se sente bem, não. Mas aí, como em toda regra, existe a exceção: Existem ainda as que não gostam mais e se sentem mal.

  Se você não gosta dele, por que se sente mal? Bom, essa pergunta eu também não sei responder. Mas vamos matutar sobre o assunto e quem sabe não chegamos a uma conclusão aceitável. Ou não, talvez eu só consiga confundir mais ainda sua cabeça. Enfim, vamos lá.

  Possibilidade um: Você é desse tipo de pessoa que não convive bem com a entidade Ex. Não importa como acabou: Se foi com muita gritaria e ursinhos de pelúcia pelos ares ou se foi com um papo tranquilo de “não-te-quero-mais”. Pra você ele é passado, e como dizem os poetas das ruas: “Quem vive de passado é museu”. E a fila anda. Aí, quando passa o defunto todo felizinho, você leva aquele sustão e fica balançada. Possibilidade dois: Talvez você seja egoísta. Você só não consegue aceitar que seu Ex tá bem sem você pra colorir os dias dele. E, aqui pra nós, pode ser saudadezinha! Você não gosta mais dele, mas, quando o vê com digamos… outra garota (cuidado na hora de xingar! lembre-se que a atual do seu ex, é exatamente o que você é para a ex do seu atual), lembra de sentimentos do passado que levou tempos para entender, sua cabeça é invadida por memórias que talvez você nunca tenha apagado de fato etc.

  Dá pra ver que possibilidades existem muitas, mas, para o Gran Finale deixei a minha predileta: a de que o amor é assim mesmo, não faz sentido nenhum. Quando ele chega, já é difícil de entender. Porque, muitas vezes, ele chega do nada, certo? Você tá ali, tranquila tomando sua coca, comendo pipoca e assistindo algum filme da Audrey Hepburn, quando alguém bate à sua porta e é o amor, que emburaca na sua vida sem querer sua opinião. Mas, mais complicado é entender quando ele acaba. Não teve um dia que você acordou e o amor tinha sumido. Você acordou e ele estava ali, mas um pouco distante. No outro dia, ele veio pra juntinho de novo. No outro, foi pra mais longe ainda. E vai saber se ele se vai, ou se vai voltar pra você. O amor quando se despede, tem destas coisas: às vezes, resolve voltar e ficar de vez. Fazer o que? No caso dessa minha madrugada, e do filme, resolvi me contentar com a falta de lógica do amor e ir dormir (já que, para a alegria dos meus neurônios, ir dormir não exige nenhuma explicação muito convincente).


7 Responses to “Conversa de Tico e Teco.”


  1. 19 de agosto de 2009 às 4:42 AM

    Acho que os meus neurônios estão precisando de explicação até para dormir, viu? Porque é bater o sono e eu ir pra cama, cadê? Fico acordada umas duas horas até dormir… quando durmo, né? Odeio essa minha insônia, ela acaba comigo! Eu já sou chata e nervosinha por natureza (como a fila da paciência tava muito cheia, fiquei umas 5 vezes nas filhas da chatisse e do nervosismo!), pergunte para meu noivo, nem eu sei como ele me atura, tadinho!

    Mas vamos ao assunto amor: de todas as possibilidades, gosto mais a que tu deixou para o grande final! Afinal, amor não precisa ser explicado, ele tem mais é que ser vivido, seja para machucar e depois se recuperar e amar denovo, seja para só amar!

  2. 2 Gonçalo
    19 de agosto de 2009 às 1:15 PM

    É melhor mesmo se contentar com isso: o amor não tem explicação e a graça é essa. Já imaginou se apaixonar uma vez só e não chorar nunca? Já imaginou falar todo dia o mesmo “eu te amo” e escutar o mesmo “eu também” tudo como se estivesse no piloto automático?
    Chata seria a vida, chato seria o amor e, provavelmente, muitos de nós desistiriam disso tudo e passariam a vida inteira na secura de não amra ninguém, né verdade?

    Parabéns pelo blog. A temática é interessante! Falar de sentimentos desperta interesse e identificação nos leitores. Show de bola!!

  3. 3 A tiamaislinda
    19 de agosto de 2009 às 3:57 PM

    Mas e o amor acaba mesmo?

    Me lembrei de Paulo Mendes Campos… um dos meus autores favoritos para me ajudar a “gostar de ler”. Segundo ele, o amor acaba com uma finalidade única: “(…)em todos os lugares o amor acaba; a qualquer hora o amor acaba; por qualquer motivo o amor acaba; para recomeçar em todos os lugares e a qualquer minuto o amor acaba.” Adoro esse texto dele, mas acredito que o verbo acabar foi mal empregado. Assim como todos os nossos sentimentos,o amor é energia. E energia não acaba nunca. A energia do amor é aquela que pode serquase que completamente consumida, só para depois ser renovada, transformada. Diferentemente da paixã,o que sim acaba, o amor permanece. Mesmo que no suspiro melancólico da saudade.(Tenho um texto antigo de minha autoria entitulado “Quando o amor acaba” que irei compartilhar assim que possível.)

    Parabéns, escrever é o grande amor da minha vida e ler seus textos também. =)

  4. 4 celso ricardo
    19 de agosto de 2009 às 4:40 PM

    olá

    estou cá para retribuir sua visita em meu blog.

    gostei do seu tb e por coincidencia começamos os blogs no mesmo dia… =o)

    grande abraço e sucesso.

    http://idioticetemlimite.wordpress.com
    O humor levado a sério

  5. 5 ithinkred
    20 de agosto de 2009 às 11:05 AM

    mto bom seus textos ^^ ..ainda mais agora que eu cabei de sair de um namoro de 1 ano..e ainda n consegui “entender” a situação.. =p
    []’s

  6. 6 MARCELLE
    20 de agosto de 2009 às 4:55 PM

    Oi! Adorei os textos q vc escreveu… olha so de cara amey o tema.. “ex”… Eu tenho uma Ex na minha vida sabe,,, a “ex” do meu namorado… Acho q fico maluca de tanto pensar nela.. É um ódio tão grande e gratuito q as vezes acho q to ficando maluca.. rsrs… Bem q vc podia escrever algo assim né amiga.. rsrs (olha a intimê!). Bom, se quiser um bom enredo pra um de seus textos eh so me contactar… rsrs
    Bjocass!!
    (Obs: seu blog já está nos Favoritos!}

  7. 22 de agosto de 2009 às 2:52 PM

    quem te vê, quem te viu,
    tas tão pensativa, complexada que me dá medo, se a Alice de antes era inteligente com as palavras na forma oral, a de agora é genial com as palavras escritas.

    uou
    tou te pagando pau mesmo
    tsc tsc, tou mediocre


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: